Bahia em pé de guerra nas eleições 2012

    93

    Os ânimos estão exaltados. É muito comum que, durante as eleições, o clima esquente entre os grupos políticos e adversários. Na disputa pelo voto do eleitorado, a concorrência pode se tornar um caso de polícia, como aconteceu em Rafael Jambeiro. A casa da prefeita Cibele Oliveira de Carvalho (PT) teria sido parcialmente destruída.

    De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), nas eleições para prefeito e vereador deste ano, foram registradas 47 solicitações para reforço policial em municípios baianos. Ainda de acordo com o órgão, em 2008 foram 44 solicitações. No ano de 2004 houve 39 ocorrências. Os números são crescentes, e a onda de violência tem assustado os candidatos.
    Este ano, já foi solicitado pedido de reforço policial pelos municípios de Salvador, Nazaré, Valença, Ubaíra, Itaberaba, Rio Real,Paripiranga,Coribe, Guanambi,Xique-Xique, Bom Jesus da Lapa, Santa Inês, Jaguaquara, Nova Soure, Cícero Dantas, Uauá, Paulo Afonso, Ruy Barbosa, Macarani, Santana, Piatã, Ribeira do Pombal, Paramirim, Riachão do Jacuípe, Andaraí, Valente, Porto Seguro, Correntina, Carinhanha, Muritiba, Conceição do Coité, Itororó, Santo Estevão, Itanhém, Itiúba, Serrinha, Gandu, Encruzilhada, Santa Bárbara, Jacobina, Canarana, Santo Amaro, Itabela, Serra Dourada, Capim Grosso, Iaçu e Serra Preta.

    Para o presidente estadual do PTN, João Carlos Bacelar, o clima não é diferente no município de Camaçari. “Parece que estamos vivendo em uma praça de guerra. A cidade está entregue às ameaças do PT”, disparou.

    Segundo Bacelar, na última sexta-feira (28), o candidato do PTN em Camaçari, Maurício de Tude, teria sofrido uma tentativa de agressão quando desfilava na Avenida Radial com correligionários. “Um indivíduo vestido com camisa vermelha e adesivos do PT tentou agredi-lo, ao ponto de rasgar a camisa. Apreendido pela Polícia Militar, o agressor foi liberado sem ser conduzido a uma delegacia”.

    O deputado estadual José Raimundo (PT) sai em defesa do partido e afirma que o lema é discussão política e programada. “nós estamos em contato direto com os militantes do Partido dos Trabalhadores, em palanque nós discursamos e pedimos que a paz seja mantida. Não permitimos que nossos aliados se envolvam em brigas ou confusão, nem mesmo responda quando for incitado. Já identificamos algumas regiões em que p PT também vem sendo alvo de vândalos e recorremos à Justiça”, disse. (Informações do Bocão News)

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR