Ficha Limpa pode barrar eleições em quatro cidades baianas

    118

    No próximo domingo (28), eleitores de 50 cidades brasileiras voltarão às urnas por conta do segundo turno e deverão eleger seus futuros prefeitos. Mas de acordo com levantamento do site Congresso em Foco com base em dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em outros 87 municípios o clima ainda é de indecisão por causa do alto número de votos anulados na corrida para as prefeituras, já que candidatos potencialmente eleitos foram barrados pela Justiça. Ainda de acordo com levantamento, na Bahia, em quatro cidades as eleições podem ser anuladas: Camamu, Muquém do São Francisco, Pojuca e Salinas das Margaridas.

    Em Camamu, dos quatro candidatos, três foram barrados pela Justiça Elitoral. No total, 58,95% dos votos foram anulados. O barrados foram Ioná Queiroz (PT), ex-prefeita destituída no primeiro semestre de 2012 inelegível por abuso de poder econômico e político; seu sucessor Américo José da Silva (PSD) – atual prefeito, na lista de ficha suja do Tribunal de Contas da União (TCU); e Idalina Rocha de Miranda (DEM), impugnada por não apresentar as contas eleitorais de 2008.

    O único candidato sem impedimentos com a Justiça foi Chico Vasconcelos, do PMDB. E a história ficou mais complicada. A candidata vencedora foi Emiliana de Zequinha da Mata (PP), indicada na eleição pelo ex-prefeito José Raimundo Assunção Santos (PP), o Zequinha da Mata, que chegou a concorrer no início, mas foi proibido de disputar o pleito devido à falta de quitação eleitoral e à rejeição de contas dos anos de 2000 e 2001. Zequinha apresentou sua irmã na tarde do sábado (6), véspera da eleição e é grande a possibilidade da progressista ter seus votos anulados.

    Segundo o Código Eleitoral, caso 50% ou mais dos votos sejam anulados pela Justiça, deve-se convocar uma nova eleição. Vale ressaltar ainda que se mais da metade da população votar nulo, isso não invalida o pleito. (Bocão News)

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR