Lula Chefe do Mensalão: Veja decide divulgar áudio de entrevista com Marcos Valério

    68

    A cúpula editorial da revista Veja se reuniu neste domingo (16) à noite e decidiu que vai divulgar hoje as fitas com o áudio das gravações que fundamentaram a reportagem de capa da publicação, com novas revelações  sobre o escândalo do mensalão atribuídas ao publicitário Marcos Valério.

    A informação sobre a decisão de Veja foi publicada ontem no blog do jornalista Ricardo Noblat, colunista de O Globo. De acordo com Noblat, foi o próprio Valério quem falou à Veja – e não amigos, como diz a reportagem de capa da revista.

    Entre informações publicadas pela Veja, Valério diz que Lula sabia e chefiava o esquema e de que o valor desviado para os cofres do PT foi R$ 350 milhões, e não R$ 129 milhões, como acusou a Procuradoria-Geral da República.

    Ainda de acordo com Noblat, após o desmentido público feito pelo advogado de Valério, Marcios Leonardo, a direção da Veja decidiu divulgar o áudio da entrevista, já que havia um acordo de que tanto o advogado, quanto Valério, não desmentiriam a informação.

    Jaques Wagner desmente encontro
    O governador Jaques Wagner declarou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nunca se encontrou com o empresário Marcos Valério, que o acusou de ser o “chefe” do mensalão, segundo a revista “Veja”. Wagner está em São Paulo, onde participou de um evento de campanha do candidato do PT à prefeitura da cidade, Fernando Haddad.

    “Por acaso, estava ontem com Lula na Bahia e o que eu posso dizer é que eu tenho certeza que ele nunca esteve com Marcos Valério, nem no Planalto, nem na Granja do Torto”, disse o governador, citado pelo Uol.

    Ele falou também do impacto do julgamento do mensalão nas eleições municipais deste ano. “O grande julgamento do mensalão foi feito na eleição de 2006. O problema é que os adversários querem carimbar o PT como o ‘partido dos marginais’. Seguramente não somos o partido dos santos, como um partido de homens e mulheres, mas também não somos o partido de marginais. Esse assunto recebeu muita pimenta no sentido de reaquecer o processo. Eu, andando na rua, fazendo campanha, não sinto que vá prejudicar (a campanha”).

    Segundo a revista, a reportagem foi feita a partir de revelações de parentes, amigos e outros associados de Valério. “Não podem condenar apenas os mequetrefes. Só não sobrou para Lula porque eu, o Delúbio (Soares, ex-tesoureiro do PT) e o Zé (Dirceu, ex-ministro) não falamos”,  teria dito Valério.

    Lula não foi acusado
    O ex-presidente Lula não foi acusado pela Procuradoria-Geral da República de participar do esquema. A denúncia da PGE diz que o esquema do mensalão consumiu R$ 136 milhões, número inferior aos R$ 350 milhões apontados por Valério. O registro do dinheiro estaria em um livro guardado por Delúbio Soares.

    Segundo a matéria, o empresário não havia comentado o assunto porque fez um acordo com o PT para não revelar detalhes em troca de impunidade. Mas agora, com a condenação, ele estaria desabafando com amigos.

    Valério teme ser assassinado. “Vão me matar. Tenho de agradecer por estar vivo até hoje”, disse o empresário

    Procurado pela Folha Online, o advogado Marcelo Leonardo, que representa Valério, negou que o cliente tenha sido entrevistado pela “Veja”, mas não confirmou nem negou as acusações que ele teria feito.

    Já o advogado de José Dirceu, apontado por Valério como “um braço que comandava”, criticou a matéria.  “É no mínimo estranho que, na véspera do início do julgamento do meu cliente e próximo do primeiro turno da eleição municipal, a revista ‘Veja’ venha com matéria leviana, desprovida de fatos, depoimentos e documentos”, disse José Luis de Oliveira Lima. (Informações do Correio)

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR