Mulher esquartejada pelo marido em Andorinha deixa cinco filhos orfãos

    68

    Dizia um velho ditado que em briga de marido e mulher ninguém metia a colher, e isso durou muitos anos, onde vizinhos, familiares, filhos e outros presenciavam sessões de espancamento de mulheres muitas vezes indefesa, e que sem forças se viam amarradas e obrigadas a conviver com tais situações por toda uma vida.

    No último dia 07 de agosto comemorou-se o sexto ano da lei Maria da Penha que foi criada em 2006, a lei federal 11.340 teve o intuito de encorajar as mulheres a denunciar a violência no ambiente doméstico, onde, em muitas vezes, a polícia e Justiça não conseguem entrar.

    Ainda mais recentemente foi incrementada mais um aditivo à lei, que diz que não é necessário mais que a mulher vítima denuncie seu agressor, porém nem sempre isso acontece na vida real, ainda é possível ver mulheres sofrendo, sendo agredidas espancadas e mesmo diante da autoridade policial dizem que só querem que sejam dados uns conselhos, que eles parem de fazer tais situações.

    Foi justamente isso que aconteceu na última quarta-feira (29), quando cansada de sofrer ameaças, agressões, brigas e mais brigas, que a doméstica, IDALISA ROSA DE CARVALHO, 29 anos, mãe de 5 filhos esteve com seu companheiro BENTO DE SOUZA, 30 anos, na delegacia de Andorinha, diante da Delegada Magda Roberta, e lá a mulher teria dito que estava querendo se divorciar e que o seu marido lhe deixasse em paz, e ainda revelou que sofria ameaças e agressões, quando a Delegada quis deixá-lo preso, mas a mulher disse que não era preciso,pois queria apenas que ele a deixasse e saísse de sua casa.

    Mesmo diante da Delegada o Bento teria dito que até se separaria, mas não sairia de casa, e ainda teria feito a proposta de ficar com o dinheiro fornecido do Bolsa Família da metade dos filhos, e que deixaria a mulher com a outra metade, e sem chegar a um acordo em comum naquela quarta-feira o casal retornou para a sua residência.

    Para a triste surpresa da família e até da Delegada, na quita-feira (30), o desempregado esperou o momento dos filhos irem para a escola e de posse de um facão foi até onde sua esposa se encontrava, dando água a um cavalo, e desferiu vários goles contra a mulher indefesa, atingindo-a, no pescoço, nos braços, nas pernas e do lado do abdômen, que as vísceras saiam do corpo da mulher.

    Tentando ajudar a mãe de Idalisa, ainda colocou panos para colocar as vísceras para dentro do corpo, e amarrou uma fralda nos ferimentos do pescoço, mas infelizmente viu sua filha falecendo ali, embaixo de um pé de umburana próximo a casa.

    O covarde do suspeita de ter assassinado sua esposa evadiu-se do local e encontra-se foragido, o corpo de Idalisa foi encaminhado para o IML de Senhor do Bonfim, para ser necropsiado.

    Deixamos aqui um questionamento, com a aplicação da Lei Maria da Penha, você acredita que diminuiu os casos de violência contra a mulher?

    Em Senhor do Bonfim existe o Centro de Referência da Mulher, que sofre ameaças, maus tratos etc, e fica localizado na Rua Zélia Gattai, atrás da escola Luiz Viana, descendo a Prefeitura.
    Onde é feito atendimento psíquico, social e jurídico.

    Informações do site Maravilha Notícias

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR