Novas aeronaves reforçam combate aos incêndios na Chapada e oeste da Bahia

    82

    O combate aos incêndios florestais na Chapada Diamantina e oeste baiano ganhou, nesta quarta-feira (31), o reforço de mais dois aviões e um helicóptero, somados às seis aeronaves que já estão em ação nas duas regiões desde a semana passada. Um investimento de R$ 3 milhões e 384 mil.

    As equipes envolvidas na Operação Bahia sem Fogo, coordenada pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), vêm intensificando as ações para acabar com as queimadas, que este ano estão ocorrendo com mais frequência e intensidade.

    O Governo do Estado já investiu aproximadamente R$ 6 milhões em ações para o combate ao fogo, sendo que, desse total, R$ 1 milhão para gasto com aquisição de novos equipamentos de proteção individual (fardas, botas, luva e máscaras) e para combate aos incêndios (abafadores, bombas costais, enxadas, rastelos, entre outros). Além disso, foram disponibilizados também três veículos, tipo Van, para transporte dos brigadistas até os locais, onde estão ocorrendo incêndios.

    Ação

    O trabalho de combate ao fogo em todo território baiano envolve o esforço de 550 brigadistas voluntários – 317 formados este ano -, 58 homens do Corpo de Bombeiros, 10 técnicos do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e seis policiais militares da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (Cippa), além do apoio do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

    As regiões da Chapada Diamantina e do oeste estão sendo cobertas pela fiscalização preventiva. Além de desenvolver atividades efetivas de combate ao fogo, as equipes também trabalham com ações de educação ambiental e prevenção, através de visitas às comunidades, orientando os produtores rurais sobre os prejuízos causados pelas queimadas ilegais para o plantio. As irregularidades ambientais são notificadas e, quando necessário, o órgão autua os produtores que descumprem a norma.

    Para a técnica de fiscalização do Inema, Fabíola Cotrim, todas as ações podem ser fortalecidas com o apoio da sociedade civil. “Com a ajuda da comunidade, através das denúncias, e das organizações sociais, e ainda por meio da sensibilização ambiental, poderemos diminuir sensivelmente o número de focos de incêndio”, pontuou. O cidadão pode fazer denúncias de incêndios florestais através dos números 193, do Corpo de Bombeiros, ou 08000 71 1400, do Inema.

    Monitoramento

    A baixa umidade do ar, clima seco, queimadas ilegais, aumentam os riscos de novos focos na Chapada Diamantina e região oeste, principalmente, entre os meses de agosto a dezembro. As informações sobre os focos de calor e o aumento das temperaturas nessas regiões são passadas às equipes que estão em campo. O uso das imagens de satélite proporciona o monitoramento dos pontos de calor que podem originar incêndios, favorecendo a prevenção. Para o monitoramento dessas áreas, os técnicos usam o Sigweb-I3 geo, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), que funciona como uma ferramenta de localização geográfica.

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR