Tragédia: Criança de apenas um ano morre carbonizada em Euclides da Cunha

    128

    O dia 7 de setembro, – que muita gente sabe, apenas, que é um dia feriado nacional, enquanto outras que deveriam, até por ofício da profissão, fazer com que a data magna da Independência do Brasil seja motivo de orgulho para a nação tupiniquim, como acontece nas demais nações do mundo, que comemora com orgulho a data maior de sua independência, não será mais lembrada como um dia feriado pelos moradores do Bairro Duda Macário.

    Como motivo, a tragédia que aconteceu nesta sexta-feira, 07, quando uma criança de apenas, um ano e cinco meses, morreu carbonizada vítima de um incêndio ocorrido em uma casa simples, ainda em construção, quando se encontrava sozinha, enquanto a mãe de nome Janeide da Conceição de Jesus, 34, conhecida como “galega” havia ido à casa de uma amiga para comercializar peças de lingerie.

    O fato aconteceu por volta de 19h50, quando vizinhos perceberam as chamas que se alastravam rapidamente, enquanto a criança gritava, em agonia causada pelas chamas ardentes que a consumiam, alimentadas pela madeira da cama, colchão, cobertor, entre tantos objetos inflamáveis devorados pelo fogo.

    Indefesa, Wilbert, supostamente arrastou-se pelo chão, até um canto da parede onde se encontrava a cama da mãe, onde, carbonizada, misturou-se com pedaços de madeira queimada e cacos de telhas que haviam desmoronado com o incêndio.

    Jaime Ramos, um trabalhador e morador do bairro, que havia ido até a casa de um parente para assistir televisão, contou para a reportagem do site euclidesdacunha.com que percebeu a labareda e gritou para a vizinhança que se uniu e, portando baldes e outros utensílios domésticos, conseguiram debelar as chamas, através de uma janela, ainda fechada  com tijolos, mas que foi arrebentada, por onde jogavam água  sem, contudo, saber que naquele quarto existia uma criança.

    Com o fogo praticamente debelado, conseguiu entrar na casa e retirar o botijão de gás, na tentativa de evitar uma explosão. Enquanto algumas amigas vizinhas localizavam e comunicavam o fato à dona da casa sinistrada.

    Foi ai que todos tomaram conhecimento da existência de uma criança no interior da residência, fato comprovado depois de o fogo estar inteiramente apagado. O incêndio foi comunicado ao serviço 190 de rádio patrulha do 5º BPM, que enviou para o local uma guarnição, que ajudou no combate ao fogo.

    Do lado de fora, dona Janeide, mãe da vítima, foi consolada por parentes e algumas vizinhas comovidas com a tragédia. O corpo foi retirado do local, envolto em uma lona plástica preta, que foi transportado pelo perito auxiliar até uma viatura da PC, e seguiu para o IML, onde foi submetido à necropsia e posteriormente liberado para o sepultamento.

    Informações e Fotos do site Euclidesdacunha.com

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR