451 pessoas recebem atendimento por intoxicação por álcool no Carnaval de Salvador

001O uso excessivo de bebidas alcoólicas tem sido a principal causa dos atendimentos em saúde no Carnaval, seguido da agressão física, com 445 ocorrências, e do ferimento acidental, com 253. Este ano, houve um aumento de 19% nos casos de intoxicação em relação o mesmo período de 2014. As mulheres continuam liderando os casos de intoxicação alcoólica durante a folia. Até às 6h de segunda-feira (16), das 451 ocorrências registradas nos módulos assistências montados pela Prefeitura nos circuitos oficiais, 240 pacientes eram do sexo feminino, enquanto, 211 do sexo masculino.

A ingestão de álcool etílico (etanol) é seguida de rápida absorção gastrointestinal, provocando vários níveis de depressão do sistema nervoso central e alterações do comportamento. Altas doses podem levar inclusive ao coma alcoólico. Na avaliação do coordenador médico do SAMU, Paiva Filho, a preferência por bebidas com teor alcoólico mais elevado e o fato de muitas mulheres adotarem dietas mais rigorosas que os homens podem contribuir para que elas alcancem mais rapidamente níveis inseguros de álcool no organismo.

“Em uma avaliação menos aprofundada, a gente sabe que elas são mais vaidosas. Enquanto a maioria dos homens opta por alimentos pesados, as mulheres preferem adotar uma dieta e se sentirem mais atraentes na avenida”, considerou. “E ainda tem o tipo de bebida. Os homens preferem a cerveja, enquanto as mulheres apreciam mais os coquetéis e bebidas a base de vodcas, que tem teor de álcool mais elevado”, lembrou.