ACM Neto dispara em nova pesquisa para governador da Bahia e venceria já no 1º turno

O ex-prefeito de Salvador ACM Neto, lidera com folga a corrida eleitoral para o Governo da Bahia em 2022 e venceria já no primeiro turno com 50% das intenções de voto. Isso é o que mostra um levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas, em parceria com o site Bahia Notícias, divulgado nesta quarta-feira (11).

Neto
Foto reprodução

Conforme a publicação, o Democrata aparece com 50% das intenções de voto em um cenário com seis candidaturas e, com apenas três concorrentes, amplia essa margem para 52,3%. O senador Jaques Wagner, do PT, é o segundo que melhor pontua, oscilando entre 24,1% e 25,4%, a depender do cenário.

Além de Neto e Wagner, o primeiro cenário testado inclui os nomes da Dra. Raíssa Soares (sem partido), João Roma (Republicanos), Marcos Mendes (PSOL) e Alexandre Aleluia (DEM). Com essa configuração, o ex-gestor soteropolitano obtém 50% das intenções de voto, enquanto Wagner fica com 24,1%.

A secretária da Saúde de Porto Seguro seria opção para 3,7% das pessoas ouvidas e o ministro da Cidadania teria 3% das intenções de voto. O ex-vereador de Salvador pelo PSOL ficaria com 1,3%, enquanto o edil bolsonarista teria 1%.

Não souberam ou não responderam 5,2%, enquanto 11,7% disseram que não votariam em qualquer um dos candidatos ou optaria por voto em branco ou nulo.

Situação Eleitoral – Governador (Estimulada)

Cenário 1

ACM Neto – 50,0%

Jaques Wagner – 24,1%

Dra. Raissa Soares – 3,7%

João Roma – 3,0%

Marcos Mendes – 1,3%

Alexandre Aleluia – 1,0%

Não Sabe / Não Respondeu – 5,2%

Nenhum / Branco / Nulo – 11,7%

Cenário 2

ACM Neto – 52,3%

Jaques Wagner – 25,4%

João Roma – 4,5%

Não Sabe / Não Respondeu – 5,9%

Nenhum / Branco / Nulo – 11,9%

O levantamento ouviu 2008 eleitores baianos em 186 municípios entre os dias 4 e 7 de agosto. O Instituto Paraná Pesquisas coletou os dados por meio de entrevistas telefônicas não robotizadas e apresentou um intervalo de confiança de 95%. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos.