ACM Neto, Otto Alencar, Paulo Souto e Pinheiro fingem esquecer 2014

    Neto_Otto_Souto_Pinheiro_Montagem2014 é o ano em que os políticos entram na disputa para o senado, governo, presidência e deputados federais e estaduais. Na Bahia o conflito que se mostra mais acirrado é para o governo do estado que a cada dia apresenta novas figuras que se habilitam para o torneio. Avaliando ser prematuro e inoportuno o momento aparece os nomes de ACM Neto, Otto Alencar, Paulo Souto e Walter Pinheiro.

    Mesmo em situação distintas todos compactuam com o mesmo pensamento: em 2013 deve-se pensar em 2013 e 2014 de ser pensado no futuro. Em conversa com o colunista Levi Vasconcelos (A Tarde), Otto e Pinheiro seguem as orientações do governador Jaques Wagner que refuta discutir sucessão nos dias de hoje.

    Para Pinheiro “só devemos discutir 2014 quando fizermos 2013. O momento é de tralharmos, de ajudar Wagner a governar. Em 2014 discutiremos 2014. Jonas Paulo (presidente estadual do PT) tem conduzido isso bem”. Lembrando que o PT na Bahia se apresenta com quatro pré-candidatos: além de Pinheiro, surge Rui Costa, Luiz Caetano e José Sérgio Gabrielli.

    O secretário de Infraestrutura e vice-governador, Otto Alencar, utiliza frase de efeito e cutuca os apressadinhos. “Falar antes da hora é tornar-se precipitado. Depois da hora é retardado. Como são quero ser precitado e nem retardado, vou esperar a hora. E não é agora”. Otto também é apontado como possível representante do PSD para o senado.

    Bocão News