Presa por corrupção, “prefeita ostentação” é reconduzida ao cargo

zszFoi reempossada na manhã desta terça-feira (9) a prefeita de Bom Jardim (MA), Lidiane Leite da Silva, que ficou conhecida como ‘prefeita ostentação’. A volta atende a uma decisão do juiz da 2ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, José Magno Linhares Moraes, que revogou a medida cautelar que proibia Lidiane Leite de frequentar a sede da Prefeitura de Bom Jardim.

Acusada de desviar verbas da educação, Lidiane Leite ficou conhecida como ‘prefeita ostentação’ depois de postar fotos ostentando luxo na internet e ficar foragida 39 dias da Polícia Federal (PF).

Na primeira fala como prefeita, Lidiane enalteceu o momento que vive novamente à frente do município de 40 mil habitantes, localizado a 275 km de distância de São Luís: “é um grande desafio”, disse.

‘Surpresa’
Nessa segunda-feira (8), Lidiane Leite se disse surpresa com a decisão da Justiça Federal. “Foi uma surpresa para mim. Eu estava voltando até a estudar quando eu fui informada sobre a decisão”, disse.

Lidiane Leite havia voltado cenário político da cidade, no fim de semana, quando foi vista numa convenção partidária. Ela foi beneficiada por outras duas decisões da Justiça: a primeira, que autorizou a modificação do seu domicílio para a cidade de Bom Jardim; e outra que substituiu a utilização da tornozeleira eletrônica para o regime de recolhimento domiciliar noturno.

A Justiça Federal intimou, ainda, o presidente da Câmara Municipal de Bom Jardim, Aarão Silva (PTC), a efetivar a volta em até três dias Lidiane Leite ao cargo de prefeita do município. No fim de semana, os vereadores da Câmara Municipal de Bom Jardim já haviam sido notificados a comparecerem na manhã de segunda-feira para uma sessão extraordinária com esse objetivo, o que não ocorreu.

604140_111216925705556_1025267665_nCidade ‘em festa’
Nessa segunda-feira, Também por telefone, Aarão Silva disse que o clima no município é de ‘satisfação’ com o retorno de Lidiane Leite. “A cidade está em festa com a volta da Lidiane. O clima que a gente percebe na população daqui é de ansiedade e satisfação. Nós todos estamos muito felizes com a volta dela”, disse em entrevista.

Enquanto Lidiane Leite esteve foragida da PF, o município ficou sem comando, já que a vice-prefeita Malrinete Gralhada não poderia assumir o cargo até que houvesse o afastamento de Lidiane. Os vereadores estavam impedidos de realizar votação por causa de uma cautelar obtida por Lidiane na Justiça que proíbe a Câmara, que já havia afastado-a por duas vezes, de realizar novo processo.

Após assumir o município, Malrinete anunciou uma auditoria para apurar as irregularidades nas contas do Executivo Municipal, que apontou um esquema de ‘farra das diárias’ na Secretaria de Assistência Social, que gastou mais de R$ 1 milhão de recursos em pagamento de diárias.

lidiane-1024x768Ostentação
Em janeiro deste ano, Lidiane Leite voltou a aparecer nas redes sociais. Nas postagens, Lidiane apareceu mais discreta, ao lado de parentes e amigos. Sobre a possibilidade da ex-prefeita voltar à gestão municipal, a defesa de Lidiane Leite havia informado que não existia nenhuma movimentação neste sentido.

Lidiane Leite responde a processo criminal ajuizado pelo MPF por desvio de verbas, fraude licitatória e associação criminosa durante gestão à frente da Prefeitura de Bom Jardim.

Relembre o caso
Lidiane Leite foi presa no dia 28 de outubro, na sede da Polícia Federal, em São Luís, depois de passar 39 dias foragida após ter a prisão decretada pela PF por suspeita de irregularidades encontradas em contratos firmados com ‘empresas fantasmas’. Após 11 dias encarcerada, ela foi solta pela Justiça sob a condição de uso de uma tornozeleira eletrônica. O escândalo teve repercussão internacional.

030a40c17983ec7468dc5038ea28029bLidiane foi eleita com 50,2% dos votos válidos (9.575), frente ao principal adversário, o médico Dr. Francisco (PMDB), que obteve 48,7% (9.289). Após a eleição, Lidiane passou a ostentar uma vida de luxo na internet. “Eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem. Beijinho no ombro pros recalcados”, comentou na internet. A conduta chamou a atenção do Ministério Público, que passou a apurar fraudes em licitações do município.

Beto Rocha chegou a ser preso pela ‘Operação Éden’, da PF. Ele ocupava a função de secretário de Assunto Políticos na gestão de Lidiane. Também foi detido Antônio Cezarino, ex-secretário de Agricultura. Ambos foram soltos no dia 26 de setembro, por determinação do Poder Judiciário.

Em julho, Humberto Dantas dos Santos, o Beto Rocha, foi novamente preso a pedido da Delegacia Especial da Mulher de São Luis. Segundo a polícia a ex-companheira dele, uma médica, denunciou Beto Rocha por agressão e tentativa de homicídio.

Com informações do G1