Acusado de assassinar PM em Caldas do Jorro é preso em Feira de Santana

001Um dos suspeitos de assassinar covardemente o policial militar José Robson dos Santos Costa, 41 anos, na noite de quarta-feira (24), quando ele participava de uma festa junina na casa de familiares em Caldas do Jorro, na cidade de Tucano, foi preso no final da tarde desta quinta-feira (25) no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana.

De acordo com a delegada Dorean dos Reis Soares, Maurício Silva Santos, 22 anos, foi reconhecido por uma testemunha como um dos autores, e que, inclusive ele seria o homem que estava que uma arma longa e que teria disparado contra o soldado José Robson.

Segundo a delegada, Maurício Silva Santos deu entrada no Clériston Andrade na madrugada de hoje, vindo da cidade de Araci, que fica a cerca de 30 km do distrito de Caldas do Jorro. No hospital, ele não soube explicar como tinha sido baleado.

81698-3“Uma guarnição do Cipe Litoral Norte, por determinação do comando, saiu da cidade de Conceição do Jacuípe e deu início a perseguição dos elementos e houve a informação de que um deles teria dado entrada no Clériston, vindo de Araci. O tenente Cajado se deslocou até o hospital e após apuração, que chegou da cidade de Tucano e uma testemunha reconheceu Maurício como um dos autores do homicídio, imediatamente a guarnição deu voz de prisão e ele está sendo autuado na delegacia de Feira de Santana”, disse.

Dorean dos Reis Soares informou que ele foi ouvido preliminarmente e informou que ia se encontrar com a namorada em uma estrada escura e que ouviu um estampido de uma bomba. Logo depois, ele percebeu que estava ferido. Ela afirma que Maurício nega participação no crime, mas que as investigações e o reconhecimento da testemunha, levou a polícia até o suspeito.

“O outro suspeito também já está identificado e a polícia não sossegará enquanto não prendê-lo. É questão de tempo e de honra, pois nossa resposta é aplicando a lei. Não podemos trazer a vida do policial, mas a justiça está sendo feita. Vale ressaltar que o diretor do Depin, Dr. Ricardo Brito, determinou e deslocou uma equipe para a cidade de Araci e junto com a polícia militar foi apreendido um casaco usado por um dos autores e um boné vermelho. Esse material está sendo trazido para ser periciado junto com a arma do policial”, destacou.

A mãe de Maurício não acredita que o filho tenha envolvimento na morte do policial. Ela informou que o filho saiu da casa dela, que fica em Araci, no dia 23, por volta das 19h30, e que ele disse que ia participar dos festejos juninos da cidade, porém ele não retornou para casa. A mãe dele contou que na quarta-feira a noite outra filha dela chegou em casa e avisou que Maurício tinha sido baleado, não sabendo informar onde e de que forma.

Com informações e fotos  do Acorda Cidade