Adolescente de 17 anos é suspeito da morte de capitão da PM ex-marido da Cantora Nara Costa

    45b4cedd283334c819bac00bbf781c8ebfa051d5A mãe do adolescente suspeito de matar o capitão da Polícia Militar reconheceu o filho como principal suspeito do crime, ocorrido na segunda-feira (20), na Baixinha de Santo Antônio, em Salvador, de acordo com a Polícia Civil. Segundo a investigação, ele deixou uma mochila na área do lava-jato e, dentro dela, havia um caderno com nomes de várias pessoas, o ajudou a polícia a encontrar a mãe do garoto.

    A polícia informou que ela assistiu as imagens gravadas por câmeras de segurança de lojas localizadas na área, que mostram uma pessoa correndo logo após o crime.

    A partir do vídeo, ela fez o reconhecimento, indicando à polícia, inclusive, que o menino tem envolvimento com casos de roubo, drogas e furtos. O garoto está vestido com uma farda escolar que, segundo a mãe, seria da irmã do suspeito.

    A vítima tinha 33 anos e teria reagido à tentativa de assalto, conforme informou o delegado plantonista Cláudio Oliveira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. O capitão era ex-marido da cantora de arrocha Nara Costa e integrava a corporação há 14 anos, lotado atualmente na 2ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM).

    A PC informou o suspeito tem 17 anos e vai completar 18 no próximo mês. Ele seria bastante conhecido por práticas criminosas na região do Morro da Águia em parceria com mais dois garotos, que, até o momento, não têm vinculação com o crime. Duas equipes fazem busca pelo adolescente, mas ele não havia sido apreendido até por volta das 16h.

    Segundo relato de testemunha, que prefere não se identificar, a ação do suspeito durou, aproximadamente, dois minutos. “Eu percebi que chegou um adolescente. Estava do outro lado. O menino estava lavando o carro do rapaz [vítima]. Foi rápido, questão de dois minutos. Teve tempo de reagir não”, relatou.

    O sepultamento de Anativo Manoel da Conceição Neto aconteceu as 15h desta terça-feira, na Ordem Terceira Secular de São Francisco, no bairro da Baixa de Quintas.

    Crime
    “Foi um crime bárbaro que vitimou não só um oficial da PM exemplar, como um pai de família. Já temos a autoria definida. Vamos trabalhar toda a noite, a madrugada, para lavrar o flagrante e tirar esses indivíduos totalmente nocivos ao convívio social de circulação”, disse o delegado plantonista, que iniciou a apuração do crime pela DHPP na noite de segunda-feira. Ele não foi preso durante a madrugada.

    Segundo Cláudio Oliveira, o capitão reagiu. “Foi tentativa de latrocínio. A vítima reagiu e foi alvejada com arma de fogo na cabeça. A partir de câmeras filmadoras dos estabelecimentos comerciais, identificamos a autoria do crime”, apontou.

    G1/BA