Adolescente é esfaqueada até a morte pelo namorado após confessar traição em “Jogo”

adolescente Jéssica Moreira Hernandes, de 17 anos, encontrada morta na segunda-feira (24) teria sido assassinada após um ‘teste de fidelidade’ organizado pelo namorado e o primo dele. A garota ficou desaparecida por quatro dias após sair de casa de bicicleta em Cerejeiras (RO), na região do Cone Sul. Os dois suspeitos estão presos. A mulher do primo, que também havia sido presa na terça-feira (25), foi liberada na quarta-feira (26) por falta de provas. O namorado da jovem alega inocência.

em foto publicada por ismael jessica se declara ao namorado

Na coletiva de imprensa realizada na quarta-feira, o delegado Rodrigo Spiça explica que Diego Parente, primo do namorado de Jéssica, confessou o que aconteceu no dia do desaparecimento da adolescente.

Diego relatou que Ismael da Silva, o namorado, é extremamente ciumento e estava desconfiado da infidelidade de Jéssica. Por conta disso, o chamou para fazerem um teste de fidelidade com a garota. Depois de organizarem o plano, Diego atraiu Jéssica para o local do crime sobre a argumentação de que possuía provas de uma suposta traição de Ismael.

familiares registraram ocorrencia de desaparecimento na noite de quinta feira 20 foto facebook arquivo pessoal

Na casa, Diego convidou Jéssica para a cozinha, e a deixou sentada de costas para onde Ismael ficaria ouvindo a conversa. O primo tinha a missão de descobrir se Jéssica havia traído Ismael. Dessa forma, ele tentou persuadi-la dizendo que mostraria as provas da suposta traição de Ismael, se ela também contasse a verdade sobre o relacionamento dela.

“Diego disse que Jéssica confessou que traiu Ismael, mas talvez ela tenha até mentido na ânsia de receber a informação dele. Alguma coisa que Jéssica falou despertou a ira de Ismael. Segundo Diego, após a confissão, Ismael perdeu o controle. Ele estava com um pedaço de ferro na mão, entrou na cozinha e falou: ‘então é isso’. Nisso a Jéssica vira, leva um golpe na cabeça e desmaia”, conta o delegado.

Diego descreve que ficou estático, pois não esperava aquela reação de Ismael. Em seguida, o namorado levou Jéssica para um espaço sem móveis e nisso, a menina começou a recobrar os sentidos. Conforme Diego, ao perceber, Ismael empurrou a garota, que bateu com a cabeça no chão e desmaiou novamente.

O primo enfatizou no depoimento que alertou Ismael e pediu para que parasse. Contudo, o namorado teria se apossado de uma faca e dado um golpe nas costas da adolescente, e em seguida, na garganta dela.

“O Diego falou que virou o rosto, porque não aguentou ver a cena. Na sequência, Ismael disse: ‘agora você está comigo. Você vai me ajudar, porque se não eu mato você também. Você não vai falar nada e vai me ajudar’. Essa é a versão do Diego, que ainda será apurada”, salienta o delegado.

Depois disso, Ismael saiu e voltou com um carro com carroceria e uma lona. Eles embalaram o corpo, amarraram e colocaram no veículo. Ismael pegou a bolsa e o celular da garota e Diego ficou responsável por limpar os vestígios de sangue da casa e por se livrar da bicicleta.

O primo revelou que desmontou a bicicleta e a jogou dentro de um poço na propriedade. O endereço da casa não foi divulgado, pois a polícia está averiguando o local, bem como o poço, para saber se a versão é verdadeira.

A esposa de Diego também foi presa na terça-feira, mas foi solta na manhã desta quarta-feira. Segundo o delegado, após a confissão de Diego, foi afastado o envolvimento da mulher.

Investigações

O delegado enfatiza que existem muitos elementos a serem esclarecidos, e que os dados trazidos por Diego estão sendo comprovados. “Todos os indícios e elementos que nós tínhamos foram confirmados em relação aos dois. Um deles confessou em partes. Na verdade ele [Diego] contou uma versão que alivia para ele, mas que deixa o outro em situação bastante dificultosa”, esclarece.

Spiça ressalta que o inquérito não está concluído, e que ainda serão juntados exames periciais, análise de dados de telefones, imagens que estão sendo recuperadas pela cidade, comprovação de localização, e oitivas de pessoas.

“Não existe nenhum outro suspeito. Foram os dois. Os dois tiveram participação. Grau maior ou menor está a se definir ainda. Qualquer outra possibilidade está afastada nesse momento. Não tenho nada concreto contra ninguém mais. Contra os dois eu tenho muito, inclusive a confissão do Diego”, afirma.

A prisão de Diego e Ismael é temporária e tem prazo de 30 dias. Nesse período a polícia pretende esclarecer os detalhes da história e confrontar as informações com a versão de Ismael. “Os locais e os tipos de ferimentos descritos por Diego bate 100% com o que os legistas me disseram. Isso significa que se não foi um, foi o outro”, finaliza o delegado.

Defesa

A advogada Sara Eugênio de Souza, que defende Ismael, diz que o namoro com Jéssica já durava cerca de três anos e que as decisões tomadas no caso estão sendo precipitadas. “Meu cliente alega inocência, o que será provado no decorrer das investigações”, salienta.

O advogado Fernando Milani e Silva, que representa Diego, afirma que o cliente participou do teste de fidelidade, mas não tinha noção que um crime poderia ocorrer. “A esposa não teve nenhum envolvimento. Ele mesmo nunca achou que algo assim poderia acontecer. O primo dele ficou transtornado e o ameaçou”, explicou.