Aécio aumenta críticas a Dilma e se aproxima de ACM Neto

0e6c3609cbf3dde3b33ef9d73bd139feFoi com um acarajé que o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), começou a pré-campanha para o Palácio do Planalto. Em visita a Salvador nesta sexta-feira, o presidenciável destacou que “não poderia iniciar essa caminhada sem vir aqui na porta de entrada do Nordeste brasileiro, principalmente porque temos um companheiro da extraordinária liderança, o ACM Neto”. Enquanto tecia loas ao prefeito da capital baiana, o tucano atacou o modelo de país adotado pelo PT e classificou o país como “um cemitério de obras inacabadas”.O tom incisivo de Aécio foi justificado por ele a partir da antecipação da campanha eleitoral, feita pelo ex-presidente Lula, ao lançar a presidente Dilma Rousseff como candidata à reeleição. “Nós não temos mais uma presidente da República. Temos uma candidata a presidente da República que se move, que se movimenta única e exclusivamente em razão da eleição, que toma atitudes em razão da eleição. Nós temos hoje um governo do marketing comandando as decisões governamentais”, criticou o dirigente partidário. O mineiro reclama ainda do que ele chama de ausência de um projeto de país nos governos do PT no plano federal. “O Brasil precisa de um projeto de país, até porque o PT abriu mão de ter esse projeto, o PT abriu mão de ter um projeto de país para se contentar em ter exclusivamente um projeto de poder”, argumenta Aécio.

Na opinião do presidente do principal adversário político do PT, há o risco do Brasil perder “conquistas que nós obtivemos ao longo de décadas”. Nesse contexto, o tucano cita a “estabilidade da economia, os pilares fundamentais da macroeconomia que nos trouxeram até aqui à credibilidade do Brasil, sobretudo internacional.” “Nós só temos hoje menos ministérios que o Sirilanka. É quase que uma ofensa à inteligência da população brasileira, ministérios que não entregam absolutamente nada, serve para acomodar companheiros”, disparou Aécio.Ressaltando sempre a aliança com o Democratas, o tucano sentenciou que, independente do arco de apoio formados durante a próxima campanha eleitoral, o núcleo da dobradinha PSDB-DEM será mantido. “Nós temos que cuidar de construir o nosso palanque e é o que nós estamos fazendo. E a base, a essência dele é aliança do PSDB com o Democratas. Não havendo isso, estamos ambos fragilizados”, destacou Aécio, ladeado pelo presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (RN), momentos depois de um encontro com o prefeito ACM Neto, apresentado por ele como “uma grande liderança política nacional”. (Política Livre)