Aluno pediu professora em namoro antes de matá-la esfaqueada em SP

    professora1203_01O aluno de 33 anos acusado de assassinar a professora de 27 anos por quem era apaixonado foi preso na madrugada de ontem (12) e confessou o crime de imediato, sem demonstrar arrependimento. Policiais que atenderam a ocorrência relataram que Thomas Hiroshi Haraguti afirmou estar revoltado por não ter o seu amor correspondido pela professora.

    Na escola, alunos confirmaram que ele realmente dizia gostar dela e teria chegado a pedi-la em namoro, ouvindo a recusa. Na ocasião, teria sido alvo de brincadeiras por parte de colegas, o que somente aumentou a sua raiva.

    O acusado, que era estudante do Educação de Jovens e Adultos (EJA), foi localizado tentando se esconder deitado na mata ao lado da rodovia Ayrton Senna, em Itirapina (SP), cidade onde ocorreu o crime.

    Câmeras de segurança da Escola Estadual Professor Joaquim de Toledo Camargo, localizada no centro da cidade, flagraram o momento em que o rapaz chegou e entrou pela porta da frente trajando um sobretudo preto, ao estilo Matrix. Ele foi direto à sala dos professores onde Simone Lima se encontrava ao lado de dois outros docentes.

    Segundo narraram os professores, o acusado empurrou um deles e partiu para cima da mulher que foi atingida com sete golpes. Em seguida, Haraguti saiu apressado da escola deixando cair a capa da faca e um celular. Uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e socorreu a professora até o Hospital Municipal São José, onde Simone já chegou sem vida.

    ALUNOPROFESSORAEnquanto isso, a polícia iniciava uma busca pelo suspeito que fugiu entrando em um terreno perto da represa do Broa, na região onde reside. Policiais de Rio Claro ajudaram nas buscas e contaram com o apoio de cães farejadores.

    Haraguti foi encaminhado até a delegacia de Itirapina, onde foi autuado em flagrante por homicídio. Em seguida, ele foi transferido para uma cadeia da região por motivo de segurança.

    Substituta
    O crime aconteceu pouco antes das 19h de segunda-feira (11), quando os professores se preparavam para as aulas do período noturno. A escola tem 450 alunos e a professora morava com a irmã em Itirapina, mas havia se formado em São Carlos (SP). Ela lecionava no local como professora substituta de português há cerca de três anos. Já o assassino vivia com a mãe e o padrasto e teria envolvimento com drogas. Ao ser preso, Haraguti tinha dois estiletes e a faca usada no crime, cuja lâmina mediu 24 centímetros.

    As aulas na Escola Estadual Professor Joaquim de Toledo Camargo foram suspensas até esta quinta-feira (14). O crime chocou a cidade de 14 mil habitantes. Em nota, a Secretaria Estadual da Educação informou que prestará apoio aos familiares da professora e à comunidade escolar. E que as imagens gravadas pelo sistema de videomonitoramento da escola já foram entregues à polícia para auxiliar na investigação do caso.

    Informações: Agências de Notícias