Amor à Vida: antes de morrer, Alejandra inocentará Paloma

    RTEmagicC_d4df921c1a.jpgAntes de morrer, Alejandra (Maria Maya) gravará um vídeo confessando que armou para Paloma (Paolla Oliveira) ao colocar drogas em sua bagagem no aeroporto do Peru. Porém, ela não revelará que Félix (Mateus Solano) está por trás de todo o plano do sequestro de Paulinha (Klara Castanho).

    De acordo com informações do Blog de Patrícia Kougut, tudo acontece quando Alejandra passar mal no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, quando estiver voltando do Peru com Ninho (Juliano Cazarré). Ela vai colocar a mão sobre a barriga e pedir ajuda ao amigo:

    “Me leva para um hospital. Eu acho que vou morrer”, dirá. O pintor levará a traficante para o San Magno e lá ela terá uma convulsão. Depois, ela explicará a Lutero (Ary Fontoura) o que aconteceu: “A mercadoria, a droga, eu trouxe em saquinhos. Engoli tudo. Um dos saquinhos deve ter arrebentado”.

    O médico ordenará uma lavagem gástrica imediata. Neste momento, Alejandra dirá que precisa gravar um depoimento diante de um advogado. Lutero rapidamente mandará que chamem Rafael (Rainer Cadete). O advogado aparecerá e orientará a criminosa a dizer seu nome completo e deixar claro que aceitou dar o depoimento na frente das testemunhas: Ninho, Lutero, Eron (Marcello Antony) e César (Antonio Fagundes).
    “Eu, Alejandra Reys Moreno, aceito gravar este depoimento diante de todos aqui. Eu era muito amiga da Paloma Khoury. Mas a gente teve uma briga feia, numa viagem recente para o Peru. Para me vingar, eu botei um pacote com drogas na bolsa dela. Eu fiz isso porque tinha muita raiva da Paloma. Eu tinha raiva dela porque o Ninho, o homem que eu amo, sempre amou a Paloma”.

    Rafael perguntará quando as drogas foram plantadas e Alejandra prosseguirá dando as explicações: “No aeroporto, em Cuzco, quando ela estava embarcando para o Brasil. Eu apareci lá com o Ninho. Não foi uma despedida muito amigável, eu aproveitei a oportunidade pra pôr a droga na bolsa dela, sem ninguém ver. Logo em seguida eu fiz um telefonema internacional e denunciei a Paloma, para ela ser presa quando chegasse ao Brasil. Mas ela é inocente”.

    Eron encerrará o depoimento, pois irá considerar que as provas são suficientes para encerrar o processo contra Paloma. Mais tarde, Alejandra não resistirá e acabará morrendo. (iBahia)