Amor à Vida: “Fim do conto de fadas” Perséfone e Daniel se separam

RTEmagicC_70b0d7889e.jpgA enfermeira continua falando sobre o início do relacionamento do casal e explica que nunca se incomodou com as piadas que ouvia por ser gorda pois sempre se achou linda. O fisioterapeuta dirá que não entende onde ela está querendo chegar e ela dispara: “Já vai saber. Eu era virgem e, tá certo, eu pisei na jaca na história de querer arrumar alguém. Até que eu casei com você. E você começou a dizer que eu era gorda. Eu posso até fazer regime por questão de saúde. Mas eu aprendi com os meus pais que eu sou bonita. Que tem gente que pode me achar bonita. E eu tava bem até cê começar a me por pra baixo aqui dentro de casa. Eu ia tomar chocolate, cê me criticava. Fazia uma comida, cê dizia que engordava”, falará, magoada.

Perséfone ainda reclama das vezes que o marido deveria ter lhe defendido. “Tinha que ter dito, “cala a boca, não mexe com a minha mulher!”. Mas não, cê ficou com vergonha. Sabe, eu não preciso ter um cara que fica me infernizando pra emagrecer. Eu gosto de mim, Daniel. E eu sei que tem gente que pode gostar de mim assim. Gorda”, dispara ela. Daniel fala que não sabia que tinha magoado tanto ela e a enfermeira afirma que se meteu em regimes malucos por causa dele e que ia acabar prejudicando sua saúde por causa dele. “Daniel, eu quero que cê vá embora, que tome o seu rumo”, diz ela.

Daniel ficará chocado e dirá que não quer se separar. “Então vamos dar um tempo. Mas se um dia a gente voltar, Daniel, cê tem que ter orgulho de quem eu sou. É o mínimo que eu espero do meu marido”, diz ela. “Você tem certeza do que tá fazendo?”, pergunta ele. Perséfone não responde e dá a ele uma mochila com algumas coisas dele. “Se é pra estar casada, eu quero ter alguém que me ame. E que me ache linda. Agora vai”, pedirá.

Reportagem iBahia: