Após ameaças de vascaínos, presidente do Corinthians diz que vai pedir ajuda ao Ministério Público

roberto_de_andrade_foi_o_convidado_especial_do_gvUma mensagem com ameaças aos torcedores do Corinthians por parte da torcida do Vasco está causando preocupação em todos. Na tarde desta segunda-feira, o presidente do Timão, Roberto de Andrade, falou sobre a segurança da partida no Rio de Janeiro.

Segundo ele, o Corinthians não tem muito o que fazer para evitar um confronto entre as duas torcidas, mas vai pedir ajuda do Ministério Público para que o pior não aconteça em São Januário, no dia 19 de novembro.

“Na realidade, não cabe muito ao clube, não tem o que fazer, principalmente fora do nosso estádio. O confronto Vasco e Corinthians sempre é um jogo de risco. São torcidas bem rivais, são bem violentas. O estádio de São Januário não é muito seguro, todas as vezes são dois, três vidros do ônibus quebrados, isso não tem como ser diferente”, declarou o presidente, em participação na Rádio Globo.

O mandatário comentou as ameaças, divulgadas em primeira mão no Meu Timão, que foram enviadas por torcedores vascaínos: “Cabe à polícia do Rio de Janeiro. Nós já estamos procurando entrar em contato com o Ministério Público para que eles tomem toda a precaução para a segurança de todos os corinthianos que lá estarão”, completou Roberto de Andrade.

A partida entre Vasco e Corinthians, marcada para o dia 19 de novembro, foi confirmada pela Confederação Brasileira de Futebol no estádio São Januário.

Confira na íntegra a mensagem ameaçadora dos vascaínos

“Só sei que Vasco e Gambás, é jogo pra diretoria meter ingresso a 2 reais pra quem for de Vasco, é jogo pra cair alambrado, não é jogo de festa, é guerra, mulher e criança estão proibidas de ir. É dia dedar calote na ida e na volta, fazer churrasco e encher a cara 6 horas antes do jogo, dia de tirar soco inglês da gaveta, de passar pano úmido no oitão, recepcionar jogador e torcida com pedras, morteiro e bomba, se voltarem com menos de 10 janelas quebradas nem comemoro. Quem cantar olê olê olê vai entrar na porrada, é pra ficar sem voz, pra arrebentar a veia do pescoço, deixar o goleiro deles cego com laser, Gda e seus guardas chuva e cachecóis não são bem vindos nesse jogo. É jogo pra vaiar gamba com a bola no pé o tempo todo, pular igual louco no estádio, xingar família toda do juiz, entrar com bombas escondida nas calças, mandar o gepe tomar no cu, jogar morteiros nos gambas e vingar aquela criança, tentar pular pro lado deles várias vezes, deixar o gepe tonto no estádio, ameaçar mãe de bandeirinha, pular a roleta, já entrar vomitando de tanto pó nas ventas, ir na tribuna agredir idoso filho da puta que não acredita, dia de distribuir TÁ LIGADO em quem não cantar, dia de gritar acabou o amor, vai começar o inferno… É guerra caralho, tudo pelo Vasco, porra!!!!!!!!!!!!!”

Com informações do Meu Timão/Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians