Paciente picada por cobra não consegue atendimento em hospital estadual na BA

64819-3A trabalhadora rural Maria Bibiana Bispo dos Anjos, de 58 anos, não conseguiu ser atendida no Hospital Geral Clériston Andrade, na tarde de ontem (6), após ter sido picada por uma cobra conhecida como Malha de Sapo. O fato ocorreu em Canabrava, distrito do município de Teodoro Sampaio, quando a vítima fazia a capinação de uma área próximo à casa onde mora.

A mulher foi socorrida por uma ambulância da prefeitura da cidade, por volta das 16h30, e levada para a emergência do Clériston Andrade, mas às 19h30, três horas depois de ela ter sido picada pela cobra, a equipe médica do hospital ainda se recusava a atendê-la.

64822-3Devido à demora no atendimento, a mulher reclamou bastante e disse aos funcionários da unidade hospitalar e pessoas próximas que estava suando bastante e com dificuldades para enxergar. O motorista da ambulância que conduziu a paciente, Jorge Luiz Calmon de Jesus, se desesperou, e num ato de revolta, colocou o veículo na área interna da emergência com a sirene ligada para protestar, na tentativa de que alguém atendesse a mulher.

Após 10 minutos com a sirene ligada, parentes de outros pacientes que estavam internados no pronto-socorro saíram para ver o que estava acontecendo e se solidarizaram com a paciente ao saberem do que se tratava.

Um médico recomendou ao motorista que levasse com urgência a mulher para Salvador, pois o hospital não tinha como atendê-la, uma vez que estava lotado. Ele não disse, porém, se tinha ou não o soro antiofídico para combater o veneno no corpo da paciente. Em entrevista ao Acorda Cidade, o motorista lembrou que o HGCA é referência em picadas de animais peçonhentos em toda a região.

Fonte: Acorda Cidade