Araci: professores paralisam e cobram aumento na jornada de trabalho

araci_paralisacao_professores1Em meio às acusações de favorecimento de empresas financiadoras da sua campanha, o prefeito de Araci, Antônio Carvalho da Silva Neto (PDT), terá que administrar mais um problema de gestão. Desde esta quarta-feira (30), mais de 220 professores paralisaram as atividades e cobram do pedetista o acréscimo de 20 horas na jornada de trabalho da categoria.

De acordo com o presidente da Associação dos Funcionários Públicos de Araci (APA), Denison Dias, a gestão passada cedeu mais 20 horas aos professores, totalizando 40 horas semanais. Mas no dia 21 de janeiro deste ano, o pedetista anulou o ato de enquadramento e a posse de novos concursados.

“Nós entramos com um mandato de segurança, apreciado pela Justiça, que devolveu o direito e o retorno das 40 horas. Silva Neto assinou um termo de ajustamento de conduta prometendo que iria regulamentar a situação de todos os servidores do município. Mas ele criou uma comissão, formada pela maioria de cargos da própria prefeitura e reabriu um inquérito administrativo para retornar às 20 horas”.

Até então, as aulas estavam ocorrendo normalmente, mas a categoria está na eminência de uma decisão de anulação do processo. Ainda de acordo com o representante da associação, o prefeito alega que não há capacidade de pagamento devido ao arroxo no orçamento. “Mas se ele cortasse metade dos cargos comissionados que a prefeitura tem poderia gerir o município com maior liquidez”.

A partir da próxima segunda-feira (4), além dos professores, outras categorias de servidores deverão acampar em frente à prefeitura, sem data de término, até que o pedetista possa dialogar. O município tem cerca de 2,2 mil servidores.

A reportagem tentou contato com Antônio Carvalho da Silva Neto (PDT), mas até o fechamento desta matéria não obteve sucesso. Vale ressaltar que o pedetista se comprometeu em encaminhar uma nota de esclarecimento a este site devido às acusações publicadas por este veículo, mas até o momento não recebeu.

Bocão News