Arrependido, Eduardo Costa pede perdão por ter se envolvido em polêmicas por causa de política

2028

O cantor sertanejo Eduardo Costa afirmou ontem (02), em live ao lado de Leonardo, que se arrepende de ter falado de política no passado.

“Em algum momento da vida eu falei de política, fui polêmico, tive boa intenção. Quero pedir perdão a todas as pessoas que me interpretaram mal, sei que me excedi. Perdão se fui ofensivo em algum momento. Eu errei, me arrependo profundamente. Tentei acertar, acabei errando”, disse.

eduardo costa durante a live do cabare ao lado do cantor leonardo
Foto reprodução

Em entrevista ao colunista do UOL Leo Dias, Eduardo disse que ter apoiado Jair Bolsonaro nas eleições de 2018 lhe rendeu cancelamento de shows e prejuízo milionário.

O assunto surgiu enquanto a dupla — separada desde 2018 e que se reencontra pela primeira vez na transmissão de hoje — pedia doações do público para instituições de caridade.

“Nessa hora [a pandemia do coronavírus] não existe direita nem esquerda, nessa hora só existe o povo brasileiro salvando o povo brasileiro”, afirmou Eduardo Costa.

O artista pediu mais união entre presidente e governadores e prometeu não voltar a falar de política.

“Jamais vou falar disso de novo na vida, a não ser para ajudar o povo do brasileiro. Se for para ajudar pode me chamar que eu vou para o meio da rua tocar”, disse. E concluiu: “Eu quero falar de música, de cachaça”.

Horas depois, na reta final da live, ele voltou ao tema: “Eu não vou falar de política, mas quero agradecer ao presidente Jair Bolsonaro pelo que está fazendo pelo Brasil, agradecer aos senadores…”.

Piadas machistas e palavrões

Entre uma música e outra, Eduardo Costa disse, em tom de piada, que mulheres e galinhas “são parecidas” porque “a galinha bota o ovo e a mulher frita ele para nós [os homens]”.

Minutos depois, o cantor chamou o amigo Leonardo de “gostoso” e disse que ele “tem pau grande”.

Em outra pausa, Costa lamentou estar solteiro, disse que está “mais abandonado que filho de puta em Dia dos Pais” e que se sente uma prostituta porque é usado pelas mulheres. Ele afirmou: “Eu não dou sorte, eu sou homem bom, para casar, ter filhos. As mulheres não acreditam em mim, eu me sinto uma prostituta. Quer usar? Usa, mas usa todos os dias”.

Eduardo Costa se referiu ao cantor Amado Batista como “o único homem rico da música popular brasileira” e “agiota f*dido”.

Ele também chamou o ator e diretor Selton Mello de “sujeitinho baixo nível, igual ao Eri Johnson [também ator]”. (Com informações do UOL)