Bahia já notifica 101 casos de Guillain-Barré; maioria havia contraído Zika ou Dengue

20130303-194127A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) informou por meio da Superintendência de Vigilância e Proteção à Saúde (Suvisa), que até às 17h desta sexta-feira (17) foram notificados 101 casos da Síndrome de Guillain-Barré. Desses, 49 foram confirmados, dentre os quais, 47 têm história anterior de Dengue, Zika ou Chikungunya.

Uma baiana de 26 anos já morreu vítima da doença no estado. Segundo a Sesab, dentre os 49 casos confirmados, 47 têm histórico de dengue, zika ou chikungunya. Ainda conforme o boletim, 23 casos foram descartados, 24 estão em investigação e cinco casos foram determinados como de outros eventos neurológicos. A capital baiana teve o maior número de casos confirmados, 38 no total. Os boletins serão divulgados sempre às terças e sextas.

O número de leitos reservados na Bahia só para receber pacientes com a síndrome saiu de 18 para 36, segundo o governo estadual. Além disso, o governo informou que pediu ao governo federal um aporte de R$ 15 milhões para enfrentamento das epidemias. O projeto de combate e contingência foi submetido há 60 dias.

A Síndrome Guillain-Barré é uma doença neurológica rara, que não tem causa definida, mas pode ser associada a doenças virais. Ela causa fraquezas ascendentes e paralisias flácidas, que costumam começar pelos membros inferiores e podem atingir as vias respiratórias. De acordo com informações do Ministério da Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS) tem 35 procedimentos para tratamento da síndrome, entre diagnósticos, clínicos, cirúrgicos, de reabilitação e medicamentos.