Bahia: Mãe se revolta ao descobrir que filha visita marido que estuprou e matou bebê

6w9zus0bpp_51tqq5yzgd_fileUma mulher ficou revoltada com a filha ao descobrir que ela estava visitando o marido no presídio, na capital baiana. O motivo de tanta mágoa é que o homem foi condenado a 26 anos de prisão após agredir e estuprar as filhas gêmeas do casal. Uma das meninas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Dona Marise encontrou uma carteira de identificação de visitante emitida pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização em nome da filha, Eliene Santana da Silva. A mulher disse que a filha a enganou, rasgou a carteira e disse que não ia mais visitá-lo. Mas, pelas costas, fez outra identificação e continua encontrando com o marido no presídio.

— Ela está esperando o quê? Fazer com a outra também? Com a mais velha e a outra que sobrou vim terminar de fazer o resto? Ela é mais descarada do que ele, porque ele tá preso e ela tá indo visitar ele.

7fvshilpga_28fht1l2uo_fileMarise afirmou que prefere ver a filha morta, mas não quer vê-la na porta da cadeia visitando o homem que matou a criança.

— Ela não é mãe, se fosse mãe, ela não ia visitar o homem que estuprou a própria filha, dele e dela, e matou. E hoje em dia, ela está correndo atrás dele. Passou por cima da família toda para poder ficar com ele.

O caso ocorreu em 2012 na Ilha de Itaparica, na região metropolitana de Salvador, quando as meninas tinham dois anos. O homem levou as filhas para o hospital e disse que elas tinham caído. Desconfiada, a médica acionou a polícia e descobriu a violência. Na época, a mãe das crianças disse estar revoltada com o marido “Eu quero que ele pague, que ele não saia mais nunca da cadeia. Ele é um monstro, minhas filhas inocentes. Eu pari, eu gerei”.

A criança que sobreviveu ficou em estado grave e tem uma cicatriz na testa devido a queimaduras provocadas pelo pai. A mãe das crianças foi procurada, mas não quis falar sobre o assunto. (Com informações do R7/BA)