Baianos estão preocupados com aumento no número de casos de coqueluche no estado

60741-2A Bahia registrou um aumento do número de casos de coqueluche em 2014, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) divulgados nesta sexta-feira (27).

Até 31 de maio, foram contabilizados 159 casos, o que resulta em um aumento de 25,2% se comparado ao ano passado, que teve127 casos confirmados até a mesma data, totalizando 300 casos até o final do ano de 2013.

O município mais afetado é o de Feira de Santana, onde só no primeiro semestre deste ano foram registrados 70 casos, um aumento de 30%, a maioria em crianças de até um ano de idade.

A coqueluche é uma doença respiratória, que é transmitida pelo ar, que atinge a traqueia e os brônquios, causando uma forte tosse, que podem trazer danos permanentes e até levar à morte. Dentre os sintomas da coqueluche estão tosse intensa por mais de duas semana seguidas, coriza, febre e diarreia.

De acordo com a infectologista Jaci Andrade, o que provoca o aumento do número da doença em crianças menores de um ano é o fato de que muitos bebês não herdam a imunidade das mães quando nascem porque a maioria das mulheres não se vacina quando chega à fase adulta.

“O esquema de vacinação existe de graça na rede pública de saúde para crianças de até 6 anos e 14 meses. A imunidade adquirida com a vacina diminui com o tempo e quando chega na idade adulta, principalmente mulheres quando engravidam, não conseguem passar a imunidade para a criança. As crianças só começam a vacinar com dois meses de idade, então ela fica desprotegida nesse período”, alerta a médica.

Ainda segundo a especialista, a doença também pode atingir os adultos jovens, que constituem um grupo que não costuma se vacinar contra doenças de um modo geral, e já perderam a imunidade adquirida quando vacinadas ainda crianças. Ainda de acordo com a médica, a rede pública não dispõe de vacinas contra a doença para gestantes no intuito de proteger as crianças.

Para garantir a imunidade por um tempo maior, é ideal que um reforço seja aplicado quando a pessoa atingir 11 anos de idade ou na fase adulta. Em gestantes, a vacina pode ser aplicada da 27ª semana a vacinação. Na Bahia, o exame clínico para o diagnóstico da doença pode ser feito de graça no Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), localizado em Salvador, que é considerado um centro de referência em tratamento. As informações são do G1.