Balbuena divide opiniões no Timão; Saiba mais

fabianbalbuena_libertad2O zagueiro escolhido para ser o substituto de Gil está longe de ser unanimidade no Corinthians. Muito próximo de ser anunciado como reforço do Timão, provavelmente nesta quarta-feira, o paraguaio Fabián Balbuena enfrenta certa resistência entre os diferentes setores no departamento de futebol do Corinthians.

O nome do defensor foi levado ao clube por empresários. Com a ajuda do CIFUT (centro de inteligência do futebol), diretoria e comissão técnica passaram a avaliar vídeos de atuações do jogador pelo Nacional-PAR, onde foi vice-campeão da Libertadores em 2014, e pelo Libertad-PAR, seu clube atual.

Uma parte da comissão técnica era contrária ao negócio por avaliar que o zagueiro ainda não está pronto para assumir uma posição na equipe. Balbuena foi visto como um zagueiro de pouca velocidade, o que não se encaixa no atual sistema de jogo. Tite precisa de zagueiros rápidos para manter as linhas marcando no campo adversário.

Por conta disso, a comissão entende que o defensor necessitará de trabalhos específicos para evoluir técnica e taticamente. Assim, não chegará como um titular absoluto. Ele deve desembarcar no Brasil ainda nesta semana para realizar exames médicos, assinar contrato e dar início aos treinamentos com o elenco.

A favor da transação pesou a pouca idade de Balbuena (24 anos) e o preço para a compra dos direitos – o Timão deve pagar US$ 1,5 milhão (R$ 5,9 milhões na cotação atual) por 100% dos direitos. Dirigentes entendem que o jogador possui uma boa margem de crescimento e que poderá ser vendido futuramente.

– Ficou um estudo em cima dele e de outros dois atletas. No fim da semana passado focamos nele, deu certo com o Libertad, todos os valores, e estamos próximos de fechar – afirmou o diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira.

O Corinthians teve muita dificuldade para encontrar boas opções no mercado que pudessem ficar com a vaga de Gil. Quando os nomes agradavam, os valores ficavam muito acima do que o clube gostaria de pagar. A escassez de zagueiros fez o clube praticamente esquecer o mercado brasileiro e focar na América do Sul.

As dúvidas sobre Balbuena fortalecem a permanência de Yago na equipe. Substituto de Gil nos primeiros jogos de 2016, o zagueiro vem agradando ao técnico Tite. No entanto, na visão dos dirigentes, ele precisa passar por testes mais importantes, como clássicos e jogos da Libertadores.

Contratado no início do ano da Chapecoense, Vilson é visto como uma incógnita, sobretudo por conviver com problemas físicos. Hoje, ele é o reserva imediato da zaga. Pedro Henrique, garoto oriundo das categorias de base, corre por fora. (Globoesporte.com)