Bizarro: Doadores de cocô ganham até R$ 35 mil de ONG

IMG_1247Uma organização sem fins lucrativos dos Estados Unidos está oferecendo pagamentos para quem doar fezes. Em um ano, quem se disponibilizar a doar cocô pode receber, por ano, 13 mil dólares, que é equivalente a 35 mil reais. O material será utilizado para o tratamento de pacientes com infecção causada pela bactéria Clostridium difficile, que provoca problemas gastrointestinais e é resistente a antibióticos.

O tratamento é realizado através da administração de fezes saudáveis processadas no estomago do paciente, através de endoscopia, tubos nasais ou cápsulas. Apesar de parecer fácil, são raros os doadores. Isso por que quem quiser doar precisa ser extremamente saudável. Apenas 4% dos cerca de 1.000 voluntários que já se candidataram foram aprovados no questionário médico e análise do material.

Para incentivar a doação, a ONG OpenBiomie paga US$ 40 (R$ 109) por cada amostra de fezes saudáveis, além de um bônus de US$ 50 (R$ 137) se a pessoa comparecer por cinco dias consecutivos. Ao todo, é possível conseguir US$ 250 (R$ 677) por semana, que somam US$ 13 mil (R$ 35 mil) por ano.

Criada em 2013, a instituição já realizou cerca de dois mil tratamentos em 185 hospitais americanos.

O cofundador da OpenBiome, Mark Smith, brincou em entrevista ao Washington Post brincou. “É mais difícil se tornar um doador do que entrar no MIT”. Segundo ele, poucos doadores se apresentam três ou quatro vezes por semana e cada amostra pode tratar até quatro pacientes.