Bolsonaro quer que dívida milionária de igreja seja perdoada pela Receita

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o deputado federal David Soares (DEM-SP), filho do missionário R. R. Soares, e com o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, no Palácio do Planalto, na última segunda-feira (27). Durante o encontro, Bolsonaro pediu que alguma medida fosse tomada pela equipe econômica sobre as dívidas tributárias que a igreja evangélica possui com o Fisco. As informações são do site Estadão.

49539683376 01b87fa52c c e1588255560559
Foto reprodução

O órgão recusou o pedido, já que o “perdão” acarretaria em um prejuízo para as contas públicas. Acumulando uma dívida de R$ 144 milhões em débitos inscritos da Dívida Ativa da União (terceira maior dívida em uma lista de devedores que somam passivo de R$ 1,6 bilhão), a Igreja Internacional da Graça de Deus, comandada por R. R. Soares, tem outros dois processos no Carf, tribunal administrativo da Receita. Esse processo envolve autuações de R$ 44 milhões em valores históricos.

Há anos R. R. Soares tem contato com a política. Em 2016, o missionário apareceu, em um vídeo, ao lado do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, hoje preso por envolvimento na Operação Lava Jato. Na gravação, R. R. Soares fala sobre multas aplicadas às igrejas que, até 2014, chegavam a cerca de R$ 600 milhões.

A interferência de Bolsonaro na Receita é interpretada como mais uma tentativa de fazer com que órgãos atendam ao seu eleitorado. A outra interferência teria sido o pedido de relatórios de investigações sigilosas da Polícia Federal, de acordo com a acusação do ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.