Conheça os streamers de videogames mais famosos do Brasil

O streaming de videogames se tornou um modo de vida para milhões de jogadores em todo o mundo, e o Brasil tem suas próprias super estrelas nesse negócio de milhões de dólares.

Os brasileiros mais bem sucedidos no mundo dos videogames

IMAGE SOURCE: Felipe ” YoDa “Noronha via Facebook

Com milhões de seguidores em suas redes sociais, milhares de espectadores que assistem a cada um de seus jogos ao vivo e renda extraordinária devida às suas vitórias em torneios e dezenas de patrocínios, alguns brasileiros conseguiram se destacar no mundo dos videogames online. Nesse aspecto, destaca-se Felipe “YoDa” Noronha, que tem mais de um milhão de inscritos no Twitch, que acompanham suas transmissões do videogame multiplayer League of Legends, coisa que lhe valeu a realização de muitos de seus sonhos, e o patrocínio de marcas como Red Bull. Para demonstrar como os games podem ser lucrativos, o site do TechTudo destaca os atletas de eSports que ganharam mais dinheiro em cada modalidade, incluindo jogos esportivos, lutas e batalhas multijogador. Entre a lista dos jogadores mais bem sucedidos e lucrativos que destaca este site, estão Guilherme “GuiFera” Fonseca e Gabriel “Fallen” Toledo, que há anos dedicam-se completamente aos videogames. Por sua vez, “GuiFera” tornou-se o melhor jogador do mundo do Pro Evolution Soccer em 2017, voltando para casa com um prêmio de US$ 200 mil (aproximadamente R$ 720 mil), enquanto “Fallen”, como líder da sua equipe, a SK Gaming, dentro do videogame CS: GO, foi eleito o segundo melhor jogador do mundo em 2016 e o quarto em 2017, depois de guiar seus compatriotas para uma série de vitórias que renderam US$ 749 mil (R$ 2,7 milhões), fazendo dele o atleta brasileiro mais rentável dos eSports.

A tecnologia faz do mundo um playground

A emoção que é partilhada quando várias pessoas participam num jogo online, seja como participantes ou como espectadores, é o principal impulsionador dos torneios de eSports, plataformas como Twitch, e a inovação para criar opções multijogador que permitem a interação em games que tradicionalmente foram projetados para participar de solitários. Um exemplo disso é a maior rede social do mundo, Facebook, que além de ter uma função de transmissão ao vivo, que permite que qualquer usuário se torne uma celebridade, também permite que dentro dos games disponíveis nesta plataforma, presentes podem ser enviados para outros jogadores, aumentando a interatividade dos games. Depois que o Facebook comprou o WhatsApp em 2014, ele vem adicionando ferramentas que facilitam a comunicação e a interação entre as pessoas, e os games são apenas um exemplo disso. Em outro exemplo sobre a adoção da interatividade, a Betway Casino fez uma adaptação ao tradicional jogo de roleta, oferecendo uma variação multijogador, que permite a participação interativa de até cinco jogadores ao vivo. Graças às novas tecnologias de transmissão ao vivo, mesmo os contextos tradicionalmente fechados e secretos foram abertos ao mundo graças aos videogames. Este caso é exemplificado pelo site Gizmodo, com a notícia de que o Exército dos EUA faz um torneio Street Fighter e o transmite no Twitch, permitindo que todos os gamers do mundo tenham uma nova perspectiva da vida dentro dos campos de treinamento militar, e as habilidades que os videogames desenvolvem entre os soldados. É neste momento, que se mostra que os games que começaram há mais de vinte anos sendo uma fonte de emoção para apenas duas pessoas em frente a uma televisão, hoje em dia tornaram-se um ponto de encontro para milhões de pessoas em todo o mundo, desde seja através da transmissão ao vivo em plataformas como Twitch ou YouTube, ou através da interatividade que vários games e plataformas desenvolveram, para permitir que mais pessoas participem.

SFV from Matt Herrick on Vimeo.

Os videogames se tornam uma fonte de renda

Jogar videogames tornou-se uma profissão lucrativa para milhares de pessoas em todo o mundo, graças às tecnologias atuais. Há 20 anos, o PlayStation se tornou o console que dominava o mundo dos videogames, infelizmente, era uma plataforma que permitia apenas duas pessoas jogarem ao mesmo tempo, mantendo seus sucessos dentro dos videogames entre eles. Atualmente, o PlayStation já está em sua quarta geração, e seus concorrentes também evoluíram, oferecendo plataformas online, nas quais milhões de pessoas podem participar ao vivo de uma grande partida dentro de um videogame. Conforme apresentado pelo site SporTV, Brasil é o terceiro maior público cativo de eSports do mundo, com mais de 7,8 milhões de entusiastas participando de torneios e eventos de videogames ao vivo. De acordo com a empresa de pesquisa Newzoo, o mercado dos eSports movimentou US$ 655,3 milhões em 2017, e esse número deverá ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão em 2019. Um exemplo do grande movimento de prêmios em dinheiro dentro deste campo de videogames, o apresenta o site InfoMoney, com um torneio de eSports paga um prêmio 60% maior que o Brasileirão na competição atual. Neste caso, o torneio The International 8, do game multiplayer DOTA 2, paga R$ 106 milhões em prêmios, comparado aos R$ 63,6 milhões que a Série A do Campeonato Brasileiro de Futebol distribuirá este ano. Certamente, os participantes deste torneio são gamers completamente dedicados aos videogames, mostrando que estes também são uma forma de ganhar dinheiro online hoje.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Tyler Blevins (@ninja) on


O que começou há alguns anos como uma forma de entretenimento, tornou-se um estilo de vida e uma grande fonte de renda para muitos pioneiros brasileiros neste campo. As possibilidades são ainda maiores, já que o streamer mais popular da Fortnite no Twitch ganha US$ 500 mil por mês (aproximadamente R$ 1,9 milhão), compartilhando seus feitos no videogame mais popular do momento e inspirando milhões de gamers em todo o mundo.

....