Corpos achados carbonizados em porta-malas de carro em Santaluz podem ser de dois professores

O professor Jeovan Bandeira, que está desaparecido desde a noite desta sexta-feira (10), pode ter sido a segunda vítima encontrada no porta-malas do Hyundai HB20S, de cor branca, nas margens da rodovia BA-120, em Santaluz, na saída para Queimadas.

DSC_02701Dois corpos foram encontrados carbonizados dentro do porta-malas do veículo. Após realizar perícia no local, a equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) levantou a hipótese de que um dos corpos possa ser do também professor Edivaldo Silva de Oliveira, conhecido como Nino, pois, os dados do veículo são condizentes com os dele.

Os peritos também estiveram na casa onde Nino morava, no início da manhã deste sábado (11), depois de receber informações que havia sinais de arrombamento no local. O quarto do professor estava revirado. Inicialmente, os peritos suspeitavam que o segundo corpo fosse de uma mulher. Testemunhas inclusive afirmam ter ouvido gritos de mulher enquanto o carro estava pegando fogo. Entretanto, na manhã deste sábado, a notícia do desaparecimento de Jeovan mudou os rumos das investigações. Segundo relatos de colegas, ele foi visto pela última vez na noite de sexta-feira, por volta das 22h, quando deixava o Colégio Estadual José Leitão acompanhado de Nino.

Ambos atuam como professores na instituição de ensino, e Jeovan ainda é um dos vice-diretores da unidade. Pessoas próximas a Jeovan relatam que ao chegar a casa do professor, neste sábado, a empregada doméstica que cuida do imóvel encontrou o quarto dele arrumado, o que sugere que o homem tenha passado a noite fora.

A Polícia Civil foi acionada e esteve no local. Apesar de todas as evidências relatadas, os cadáveres foram removidos para o Departamento de Polícia Técnica de Feira de Santana, onde exames de DNA vão confirmar as identidades das vítimas e as causas das mortes.

As informações e fotos são do Notícias de Santaluz