Delegado causa tumulto e tenta humilhar Policiais Militares na Bahia; veja vídeo

ddsA festa junina é traço marcante nos estados do nordeste. Na Bahia, os quatro cantos do estado é marcado por forró, comidas típicas, muita gente reunida e nesse ano o tema Copa do mundo. Garantindo a ordem, a paz, tranquilidade e segurança entram em cena Policiais (Militares e Civis) e Bombeiros. Profissionais singulares que abandonam seus lares para servir e proteger a sociedade. Militares e Civis da Polícia são instituições co-irmãs, enfrentam dilemas semelhantes e integram a Segurança Pública. O respeito e o diálogo entre os órgãos deve sempre prevalecer, pois atuam em cooperação. Entretanto, na noite do dia 22/06, na cidade de Coaraci -BA, um componente da Polícia Civil, com cargo de Delegado de carreira, destoou de todas estas elucubrações.

O delegado João, dirigia de forma perigosa, tentando atravessar a multidão de pessoas com seu veículo. Incomodado com os reclames, desce do carro empunhando uma das armas que portava. A Polícia Militar é acionada. Ao ser indagado informou ser delegado, mas recusava-se a apresentar sua carteira de identificação. Portar arma em local de grande conglomerado estando em aparente estado de embriaguês é reprovável do ponto de vista da legitimidade e da legalidade. Para piorar o cenário, dirigir em estado ébrio também fere de morte as disposições do Código de Trânsito Brasileiro. Ademais, ao ser admoestado verbalmente pelos ilícitos, o Dr. Delegado tentou menosprezar os Policiais Militares.

Tais condutas não se justificam, arranha o bom convívio entre os organismo estatais de Segurança Pública e não representa o corpo da classe de Delegados do Estado, que de forma geral respeitam os Policiais Militares. Conduzir o Delegado para uma delegacia seria embaraçoso, dado ao corporativismo. Evitar o atrito se mostrou atitude momentaneamente mais viável. Por sorte, ao ser advertido, o Delegado não seguiu dirigindo seu veículo embriagado, evitando por em risco a vida de transeuntes.

A ASPRA ITABUNA por meio dessa nota, repudia o comportamento do Delegado que deixou de se comportar com respeito, urbanidade e ombridade com os Policiais Militares. Ao passo desse lamentável fato, apoiamos todos os Militares envolvidos e colocamos o jurídico da entidade à disposição para propormos medidas judiciais cabíveis.

Ademais, apresentaremos os vídeos gravados na Corregedoria da 6° COORPIN de Itabuna. Esse episódio suscita a necessidade de refletirmos sobre nossas posturas, para evitarmos agir feito o Delegado ultrajante, desrespeitoso, que certamente é uma execeção no digno quadro dos Delegados Civis da Bahia.

Itabuna, 23 de junho de 2014.

ASPRA BAHIA – REGIONAL ITABUNA


………………………..