Deputado denuncia más condições de alojamentos e abuso de autoridade no 5° BPM de Euclides da Cunha

Marco-Prisco-Caldas-Machado-PriscoAlunos a soldados PM sofrem com más condições de alojamentos e abuso de autoridade. A denúncia chegou à Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública por meio do deputado Marco Prisco Caldas Machado, na manhã da última terça-feira (12/05/2015), na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba).

Conforme explicou o deputado soldado Prisco, a situação é enfrentada pelos militares no 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM/Euclides da Cunha). “Temos, a exemplo, um policial que vem sofrendo assédio moral por parte do comandante da unidade porque questionou sobre condições que são inaceitáveis num quartel. Só para se ter uma ideia, na comida oferecida  aos militares são encontradas baratas. Na cozinha, os cozinheiros trabalham em meio aos ratos, assim como toda o Batalhão está infestado com a praga”, afirmou deputado.

O parlamentar Prisco informou que os alunos que reclamam das péssimas condições são perseguidos e, por não serem ouvidos, procuraram suporte jurídico na Associação dos Policiais e Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra).

“Um deles foi afastado pela Junta Militar por ter denunciado o fato ao Ministério Público do Estado da Bahia. Apesar do Estado alegar que o policial sofre com problemas psiquiátricos, este já foi submetido à consulta de médico psiquiatra que atestou sua sanidade mental”, analisou soldado Prisco.

Um aluno, que prefere o anonimato, falou sobre os abusos praticados durante os cursos de policiais no Estado da Bahia. “Sempre cheguei pontualmente para as atividades escolares, tendo concluído o curso com aproveitamento “muito bom”, concluindo as provas do primeiro e último módulo com aproveitamento e média 8,50. Ainda assim, o comandante me disse que eu não iria me formar por questionar demais”, contou o militar.

O policial que denunciou os abusos está afastado das atividades por 120 dias e não poderá se formar com os colegas de turma no dia 29 de maio próximo. Além dele, outros 49 alunos assinaram documento solicitando providência quanto as condições de higiene no 5° Batalhão da Polícia Militar.