Dia da garfada: Timão volta a ser prejudicado por arbitragem em clássico contra o Palmeiras; veja vídeo

erro_de_arbitro_custou_empate_e_lideranca_do_ytSe antes do clássico deste domingo o dia 12 de junho já estava marcado nas histórias de Corinthians e Palmeiras, de agora em diante, certamente, a data não passará em vão no calendário do Dérbi. Depois de 23 anos, o Timão voltou a ser prejudicado pela arbitragem num duelo frente ao arquirrival.

Com gol de Cleiton Xavier, aos 2min do segundo tempo, o time da Barra Funda abriu o placar no Allianz Parque. Ainda assim, o Corinthians, que não contava com a Fiel nas arquibancadas do estádio devido à determinação de torcida única imposta pela Secretaria de Segurança Pública, tentou pressionar e arrancar ao menos o empate.

Foi então que o árbitro Raphael Claus deu “números finais” ao confronto. Já nos acréscimos, Felipe subiu até o terceiro andar dentro da área e cabeceou para o meio. O goleiro Fernando Prass, por sua vez, tentou dar um soco e tirar o perigo alvinegro, mas furou e viu a bola ficar viva. O meia Cleiton Xavier, mais próximo do lance, fez o movimento para dar o chutão e foi surpreendido por Bruno Henrique, que completou para o fundo da rede com um leve toque.

Claus, no entanto, responsável pelos então dois Dérbis disputados no Allianz Parque, marcou falta de Felipe em cima do goleiro palmeirense. Em contrapartida, as câmeras de televisão registraram o momento em que o defensor corinthiano cabeceou apenas a bola e sequer esticou o braço para se proteger, atitude que até poderia ser considerada falta pelo árbitro.

“Bola dividida normal. Subi normal, olhando só a bola. Não sei (o que ele viu no lance), pode ser perigo de gol”, criticou o camisa 28 do Corinthians, que se despediu de forma emocionada do clube.

O erro a favor do Palmeiras acontece 23 anos depois da final do Campeonato Paulista de 1993. No dia 12 de junho daquele ano, corinthianos e palmeirenses voltaram a medir forças pela decisão estadual no estádio do Morumbi. Antes do intervalo, quando a equipe da Barra Funda vencia por 1 a 0, uma jogada protagonizada por Edmundo e Paulo Sérgio marcou o embate. O atacante do Palmeiras deu um carrinho violento no jogador alvinegro, mas, em vez de ser expulso, acabou advertido pelo juiz José Aparecido apenas com o cartão amarelo.

Posteriormente, Edmundo permaneceu em campo e foi determinante para as expulsões do goleiro Ronaldo e do meio-campista Ezequiel, ambos do Corinthians, além de sofrer um pênalti na prorrogação. A falha de Zé Aparecido custou a perda do título do Paulistão de 1993 para o Corinthians e, consequentemente, o fim de um jejum de 16 anos por parte do clube da Barra Funda. (Meu Timão)