Dilma tem drástica queda em nova pesquisa eleitoral; veja

dilma-tristeA campanha eleitoral nem começou e várias pesquisas de opinião foram encomendadas para avaliar os prováveis desempenhos daqueles que deverão ser candidatos nas eleições de 2014. Uma nova pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) aponta que a presidente Dilma Rousseff manteve a liderança entre os possíveis concorrentes à presidência, mas se comparada com a pesquisa anterior, a presidente caiu de 36,4% das intenções de voto para 32,9%.

Os dados são referentes a 118ª Pesquisa CNT/MDA. A pesquisa também avaliou o desempenho do governo Dilma Rousseff. A aprovação do desempenho pessoal da presidente caiu de 55% para 47,9%, enquanto o número de entrevistados que desaprovam a administração de Rousseff aumentou de 41% para 46,1%. Esta é a terceira queda consecutiva na avaliação do governo federal, segundo a CNT. Em novembro de 2013, o índice de aprovação era de 58,8% e de reprovação, 38,9%.

A avaliação negativa de Dilma aumentou de 24,8% para 30,6% e a regular diminuiu de 37,9% para 35,9%.

Cenários

A pesquisa montou cenários em que simula o desempenho da presidente em relação aos seus prováveis adversários na disputa ao Planalto, fazendo inclusiove projeções para um possível segundo turno.

A preferência por Dilma caiu no primeiro turno de 43,7%, em fevereiro, para 37%, em abril. Aécio Neves cresceu de 17% para 21,6% e Eduardo Campos de 9,9% para 11,8%. O percentual dos eleitores que pretendem votar nulo ou em branco passou de 20,4% para 20%.

Caso a disputa chegue no segundo turno, a diferença entre a atual presidente e os seus principais oponentes reduziria. Em fevereiro deste ano, Dilma tinha 46,6% contra 23,4% de Aécio Neves. No atual cenário, a petista caiu para 39,2% e o candidato tucano subiu para 29,3%. A diferença diminuiu, ainda, contra Eduardo Campos – em fevereiro, Dilma tinha 48,6% das intenções de voto e caiu para 41,3%, enquanto o ex-governador pernambucano cresceu de 18% para 24%.

Dilma também piorou o seu desempenho no quesito limite de voto. Segundo a pesquisa, o percentual de entrevistados que votariam apenas na atual presidente diminuiu de 26,7% para 23,2%. Por outro lado, aumentou o número de eleitores que não votariam em Dilma de jeito nenhum, de 37,3% para 43,1%. Outros 29,4%, contra 31,4% em fevereiro, disseram que ela é uma candidata em que poderiam votar.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre os dias 20 e 25 de abril, em 24 unidades da federação, em todas as regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com 95% de nível de confiança. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-00086-2014.

Fonte: Jornal de Brasília