Em recurso ao STF, Genoíno chama de ‘ingênuo’ quem acreditou no mensalão

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.0yJwRvgwegO deputado licenciado José Genoino (PT-SP) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (8) um recurso contra sua condenação no processo do mensalão. Nas 25 páginas de defesa, cita uma composição de Chico Buarque e chama de “ingênuo” quem acredita no caso já reconhecido pelo Supremo como compra de apoio parlamentar durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Por maior respeito que se tenha por aqueles que ingenuamente acreditaram na maior ficção da história brasileira, a estória do mensalão, urdida pelo maligno rancor de Roberto Jefferson (…) fato é que reuniões entre presidentes de partidos visando apoio ao governo não constitui, por óbvio, a prática de qualquer ilícito”, defende trecho do recurso. O texto intercalou versos da música Cancion por la unidad latinoamerica, composta por Chico e Pablo Milanés: ”história é um carro alegre / cheio de um povo contente / que atropela indiferente / todo aquele que a negue”. E continua:”José Genoino Neto não merece a pecha de bandoleiro. José Genoino Neto não integra quadrilha. José Genoino Neto, sem favor algum, merece absolvição”. O petista também faz críticas à mídia, segundo ele “panfletária e reacionária”, e anuncia que ” brigará hoje e até o fim de sua existência (…) quando for e onde for pela causa de sua inocência”. Além de Genoíno, têm direito a apresentar os chamados embargos infringentes, admissíveis com o mínimo de 4 votos pela absolvição, 12 réus. Um dos ex-sócios de Marcos Valério, Ramon Rollerbach, e a ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello também enviaram recursos ao Supremo nesta sexta (8). Informações da Folha.