Equipe do Projeto Rondon chega a Cansanção no próximo domingo

    unijuiCom o grupo completo, os representantes do Projeto Rondon se preparam para a viagem. Nesta sexta-feira (11), por volta da meia-noite, a equipe será conduzida até Porto Alegre. De lá, junto com mais cinco universidades do Rio Grande do Sul partem para Petrolina -PE, aonde vão se hospedar no primeiro e no último dia da Operação no alojamento das Forças Armadas, no domingo partem para Cansanção. Durante 15 dias (o retorno está previsto para o dia 27) a equipe da (UNIJUÍ – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul) vai desenvolver ações e atividades no município de Cansanção, norte da Bahia juntamente com a  (UNITRI – Centro Universitário do Triângulo). As ações vão contemplar as áreas do Conjunto B, as quais envolvem Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio ambiente e Trabalho.

    Nesse sentido, as oito vagas dispostas no edital foram preenchidas por estudantes da segunda metade de cinco cursos de graduação da UNIJUÍ: Araciele Ketzer e Talita Mazzola (Comunicação Social); Ana Lúcia Londero e Carlos Zandona Rupollo (Agronomia); Pâmela de Lima Thomé da Cruz (Medicina Veterinária); Manoel Francisco Mendes Lassen (Ciências Biológicas); Cândida Bernardi e Geannina Terezinha dos Santos Lima (Engenharia Civil).

    Além da doação total aos trabalhos, os rondonistas têm o desafio de contemplar a ideia da interdisciplinaridade e multidisciplinaridade presente na proposta de trabalho inicial, “Ações multidisciplinares na construção de soluções para o desenvolvimento e sustentabilidade”. Ou seja, as ações precisam ser realizadas em conjunto, conectando as informações advindas de cada área do conhecimento e ainda contar com a colaboração e intervenção dos próprios agentes e entidades da comunidade envolvida pelo Rondon na Operação Canudos.

    Nesse sentido, é uma experiência inédita para os alunos e professores, que não apenas vão trazer um certificado para casa, como também uma lição de vida e cidadania, como diz o próprio slogan do Rondon. Representante Institucional do Projeto Rondon, a professora Véra Fischer acredita que esta iniciativa é uma possibilidade dos alunos colocarem na prática o que aprendem em sala de aula e uma oportunidade de conviver em uma equipe multidisciplinar, em uma comunidade de cultura e costumes diferentes: “isto faz com que aspectos individuais sejam deixados de lado para que, de fato, possa contribuir com a comunidade envolvida e se integrar à nova realidade de uma parte bastante importante do nosso país, que são as regiões norte e nordeste”.

    Antes de tudo é preciso planejar as ações que serão promovidas, além de estudar o contexto nos seus aspectos históricos, culturais, ambientais e sociais no qual todos estarão inseridos. Por isso, já foram realizadas duas reuniões gerais de capacitação do grupo, uma no dia 08 de dezembro e a outra no dia 19, distribuídas tarefas para os alunos discutirem em casa, além dos inúmeros encontros específicos de cada área que estão sendo executados para que se consiga organizar um trabalho eficiente junto aos cansançãoenses.  “O objetivo é que toda a equipe esteja integrada entre si, consciente de seus direitos e deveres e apta para desenvolver atividades que de alguma forma contribuam para o aperfeiçoamento da qualidade de vida da população local” explica o Coordenador da Proposta aprovada pelo Ministério da Defesa em outubro deste ano, Paulo Ernesto Scortegagna (DHE), que conta ainda com a colaboração da vice-coordenação, a professora Leonir Terezinha Uhde (Deag).

    Criado na década de 1960, o Projeto Rondon já levou mais de 12 mil rondonistas a cerca de 800 municípios. É coordenado pelo Ministério da Defesa, mas conta com a parceria de outros Ministérios e Instituições em nível municipal, estadual e federal. Todas as despesas são subsidiadas pelo Governo Federal. Esta é a primeira vez que a UNIJUÍ participa do Projeto, mas de acordo com a professora Véra, depois desse primeiro passo vem muitos outros: “o Projeto Rondon prevê duas edições anuais, nas férias de inverno e nas férias de verão, para cada uma, é feito o convite às instituições de ensino superior, sendo que o próximo deve ser lançado em março/2013 para a realização do trabalho de campo em julho/2013”.

    Véra destaca ainda um trecho presente no Guia do Rondonista (página 7) que enfatiza a responsabilidade dos rondonistas na execução das ações: “O Projeto Rondon não é “turismo social”, tampouco “lazer cívico”. Significa doação, abnegação, brasilidade, iniciativa, esforço, criatividade, determinação, dedicação, sensibilidade e muito trabalho. O rondonista representa não só o Projeto Rondon, mas a sua instituição de ensino superior”, conclui.

    Informações e Foto: www.unijui.edu.br