Escorpiões infestam residências em Feira de Santana

    650x375_1342219A dona de casa Luzinete Ramos de Jesus, de 47 anos, está internada no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana (a 108 km de Salvador), por causa de picada de escorpião.

    O fato ocorreu na noite de segunda-feira, 22, quando ela deixava o banheiro da sua casa, na rua Papa João XXIII, no bairro Chácara São Cosme. Esta é a segunda vítima de animais peçonhentos na residência, que foi invadida por eles há cinco anos.

    “Eu já fui picada no dedo e até hoje sinto dor e calafrios. Minha casa está invadida por escorpiões e as autoridades nada fazem”, desabafou a comerciante Solineide de Jesus Santos, irmã de Luzinete.

    A comerciante diz que, desde que encontrou o primeiro destes aracnídeos tem pedido ajuda a órgãos como a Vigilância Sanitária e a Secretaria de Serviços Públicos, mas até o momento apenas duas visitas foram realizadas na casa.

    Padaria

    A comerciante acredita que os escorpiões venham de uma padaria vizinha à sua casa. “Conversei diversas vezes com o responsável do estabelecimento. Ele mandou dedetizar aqui umas vezes e disse que faria uma reforma na parte dos fundos, mas até agora não fez”, frisou.

    Ao lado da padaria há uma área na qual está a madeira utilizada no forno. “Quando o carregamento de lenha chega, aumenta o número de escorpiões”, destacou Raildo dos Santos, outro morador.

    A TARDE tentou contato com os responsáveis pela padaria, mas foi informada de que eles não estavam no local.

    O biólogo Magno Mercês, do Centro de Zoonoses, esteve na casa da comerciante e informou que só ontem o órgão recebeu a denúncia e se espantou com a quantidade de escorpiões no imóvel. “Vamos acionar a Vigilância Sanitária para notificar a padaria e iremos providenciar o controle de pragas como baratas e cupins, que são alimento de escorpiões”, disse.

    Ele disse ainda que a orientou a fazer uma limpeza detalhada na casa, uma vez que encontrou vários pontos propícios para que os animais peçonhentos façam ninho.

    Fonte: A Tarde