Euclides da Cunha: Polícia prende idoso acusado de ameaçar companheira e enteada

    229Quais as justificativas que um homem tem para sentir-se no poder de agredir uma mulher, de forma física ou verbalmente? Nenhuma. Aliás, não há nada que justifique qualquer tipo de agressão contra seu próximo, seja com criança, adulto, idoso, do sexo oposto ou do mesmo sexo.

    Mesmo não havendo pressupostos para qualquer ato criminoso praticado pelo ser humano, com frequência aparecem notícias sobre casos de ofensa a vida humana, são ocorrências de violência contra o semelhante, tendo até consequências fatais, podemos citar, por exemplo, acontecimentos entre casais em que na maioria das vezes a mulher é quem sofre as consequências do “distúrbio” de muitos homens, principalmente companheiros.

    Quando se trata de agressão contra mulher, é quase sempre a mesma coisa, começa com uma pequena discussão – quando há, o companheiro ameaça-a e/ou agride-a, a mulher desconsidera – muitas vezes com medo – e acaba resultando em consequências drásticas. São quase sempre crimes passionais, isto é, motivados pelo sentimento de posse, ciúmes, intrigas do dia-a-dia, entre outros. Nota-se que muitas vezes os delinquentes estão sob efeito de bebida alcoólica, o que faz com que o ser humano perca a noção das consequências.

    Especialistas em segurança pública afirmam que quanto mais cedo o caso for comunicado à polícia, melhores podem ser os resultados, ainda que seja agressões – geralmente a forma que começa – mediadas devem ser tomadas imediatamente pelas vítimas, antes que o caso se agrave, como um fato ocorrido na noite do dia 6 de janeiro, em Euclides da Cunha, no qual um homem já idoso agrediu verbalmente sua companheira e sua enteada, ameaçando-as de morte.

    As vítimas comunicaram o fato a 25ª Coorpin de Euclides da Cunha alguns instantes depois do ocorrido, que foi em uma residência localizada na sede da cidade, sendo que, a partir das primeiras apurações dos fatos concluídas pelo delegado Dr. Miguel Vieira foi, constada a ameaça de morte às duas mulheres, cometida pelo idoso em que, conforme depoimento das vítimas, ele estava visivelmente em estado de embriagues.

    Diante da gravidade da ameaça, imediatamente, agentes da polícia civil localizaram e recolheram o idoso para o xadrez da custódia da 1ª Delegacia Territorial, o qual se encontra à disposição da polícia, que deverá adotar medidas cabíveis, inclusive sujeito as penalidades da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) que dispõe de mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

    No xadrez da custódia da 1ª DT, outros elementos estão detidos pelo mesmo delito, inclusive casos tão recentes quanto o desse idoso. São fatos lamentáveis que ainda persistem nos dias atuais, mesmo perante o aumento do rigor das Leis, e que comumente são descumpridas.

    De certo, os casos envolvendo qualquer tipo de agressão, ou violência que constrange, humilhe, manipule, isole, persegue, insulte, chantageie, ridicularize, explore e limite o direito do cidadão, deve ser comunicado às autoridades de segurança pública para que as medidas cabíveis possam ser adotadas.

    Fonte: Euclidesdacunha.com