Faculdade baiana gera confusão após convocar por engano candidatos reprovados em vestibular de medicina

e89fec6a1e80db974eccc7887d663038Candidatos que prestaram vestibular para o curso de medicina da instituição de ensino privada Unime, no município de Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, enfrentaram uma frustração nesta terça-feira (16). Por volta das 8h, todos os estudantes que obtiveram pontuação de classificação receberam mensagens de SMS parabenizando pela aprovação e convocando para matrícula. Para muitos deles, a festa pela realização de um sonho durou pouco. “Desconsidere o SMS anterior, você ainda não pode realizar a sua matrícula no curso de medicina da Unime. Entraremos em contato em breve”, dizia uma nova mensagem.

Há três anos estudando em cursinho, Ravena Sena, de 20 anos, está entre os candidatos frustrados com o equívoco. “Recebi o SMS às 8h43. Estava indo para o trabalho e recebi a mensagem no meio caminho. Tentei ligar logo para o meu pai, mas não consegui. Ele nem chegou a comemorar comigo. Nem deu tempo”. A mensagem relatando ao equívoco foi emitida para a jovem às 9h26.

Ravena conta que, além dela, diversos amigos relataram o problema em um grupo dedicado aos vestibulandos em uma rede social. “Muita gente veio do interior para fazer a matrícula. Tem muita gente revoltada. O grupo pretende entrar com ação coletiva [contra a faculdade]”, explica.

Por meio de nota, a Unime disse que as mensagens foram encaminhadas por engano devido a um erro no sistema. “Devido à uma inconsistência sistêmica no envio de mensagem via SMS na data de hoje (16/12), todos os candidatos classificados no processo seletivo de Medicina 2015 foram acionados, equivocadamente, para efetuar matrícula, sem observância da ordem de classificação e a limitação do número de vaga”, esclareceu.

Ao perceber o erro, a instituição ressalta que encaminhou uma nova mensagem pedindo reconsideração. “Em tempo, o fato foi identificado pela instituição e, na sequência, um novo SMS foi encaminhado solicitando que a primeira mensagem fosse desconsiderada. A Unime ressalta que os candidatos classificados nas posições que excederem o número de vagas disponíveis somente poderão ser convocados para matrícula em caso de desistências”, diz.

A Unime explica que dispõe apenas de 50 vagas. O número de concorrentes, entretanto, não foi divulgado.

Mesmo diante da frustração, Ravena afirma que não desistirá do sonho de ser médica. “É meu sonho. O jeito agora é continuar tentando”, conclui. (Com informações do G1/BA)