Feira de Santana chega aos 181 anos com bairros maiores que algumas cidades

65471-3Com 612 mil habitantes, Feira de Santana cresce mais que a média nacional. A cidade é a sexta maior do interior do país e tem população superior a oito capitais estaduais. Parte do que evidencia essa grandiosidade, são bairros e conjuntos que já possuem estrutura de cidade; maiores, inclusive, que muitas cidades baianas. São as nossas “cidades” em Feira!

Cheia de diversidade, a princesa do sertão completa 181 anos nesta quinta-feira (18).

Localizado na zona sul de Feira, o Tomba é o bairro mais populoso da cidade, com cerca de 55 mil habitantes. Dados históricos revelam que o bairro surgiu após a construção da Fazenda Olhos D’Água e era apelidado, preconceituosamente, de Morro do Macaco, por abrigar pessoas pobres.

Com o tempo, foi construída uma estrada de ferro que ligava o sertão ao Recôncavo, e sempre que o trem passava por alí, tinha que diminuir a velocidade e colocar os passageiros para andar, caso contrário o trem tombaria, nomeando o local como: “O lugar que o trem tomba” (depois somente Tomba).

Hoje, o bairro tem um comércio forte, núcleo industrial com grandes empresas, rede bancária, policlínica, agência dos correios, loteria, postos de gasolina, lojas de conveniência e uma feira livre na Praça Macário Barreto.

A comerciante Ednalva Rodrigues, que trabalha na feira livre há 15 anos, afirma que gosta muito do bairro, assim como do trabalho que faz. Segundo ela, com o dinheiro do trabalho na feira, ajuda nas despesas domésticas e médicas.

“Gosto muito desse bairro, me sinto bem em viver aqui. É um bairro bom para trabalhar, para morar. Aqui tem de tudo que a gente precisa. É um bairro ótimo”, afirmou.

Entre os setores que precisam melhorar, ela destaca segurança. “Está tendo muito violência e precisa de mais segurança. Esses dias até que estão calmos, mas houve um tempo em que a gente trabalhava com medo”, afirmou.

Maior conjunto habitacional de Feira de Feira de Santana, o Feira X é confundido por muitos como bairro e é até maior que alguns bairros da cidade. Pertencente ao bairro Muchila, o Feira X possui um forte comércio, com dois grandes supermercados, rede de farmácia, lotérica, além de escolas municipais e estaduais e policlínica.

O repórter Ney Silva esteve no conjunto e conversou com o aposentado Avelar Araújo, que é natural do estado de Sergipe e mora no local desde 1985. Antes do Feira X, ele já morou nos bairros Tanque da Nação e Rua Nova. O aposentado disse que só sairia do Feira X se fosse para voltar para sua cidade natal.

“Meus filhos cresceram aqui, estudaram e hoje não sairia daqui se não fosse para minha cidade natal, que é Lagarto. Aqui é muito bom temos posto de saúde, escola, banco, casa lotérica, supermercado, temos tudo. Hoje considero o conjunto como uma cidade”, afirmou.

Avelar Araújo lembra que quando chegou ao Feira X, o local era estranho, deserto, tinha muito mato, não tinha calçamento e nem esgoto, mas que com o decorrer do tempo as coisas foram melhorando e hoje ele considera um dos melhores lugares da cidade para se viver.

Assim como a moradora do Tomba, Avelar também cita a segurança como o item que precisa melhorar. “Aqui não tem policiamento, tiraram o posto policial e a gente não vê um policial na rua. Mesmo assim aqui não existe tanta violência se comparado a outros locais. A gente ainda consegue andar tranquilo”, afirmou.

Situado na zona norte de Feira de Santana, o bairro Cidade Nova surgiu de dois conjuntos habitacionais da URBIS: o Feira I e o Feira II. A separação é perceptível pelos nomes das ruas: as do Feira I são nomeadas por letras e números, enquanto as do Feira II receberam nomes de jogadores de futebol e cidades do interior baiano.

Como o nome já diz, o bairro Cidade Nova é também uma cidade dentro de Feira. Com comércio forte, atende não só aos moradores locais como de bairros vizinhos, a exemplo do Parque Ipê, Campo Limpo, Feira VI e George Américo, além dos distritos Matinha, Tiquaruçu e São José. Tem agências bancárias, casas lotéricas, Correios e o Terminal Norte, por onde passam milhares de pessoas por dia.

Fonte: Acorda Cidade