Feira de Santana comemora o dia Internacional do Fusca

fuqueteO Fusca, um dos carros mais queridos do mundo, completou neste domingo (22) 80 anos desde a sua criação. Em Feira de Santana, a data foi comemorada com um grande passeio pelas principais ruas e avenidas da cidade. O evento foi organizado pelo fotógrafo Antonio Magalhães, pelo chapista Mário de Jesus Sousa, conhecido como Nem do Fusca, e por Zé da Paixão. Cerca de 100 veículos participaram do passeio, que já acontece há 8 anos. Os participantes se concentraram no espaço Marcus Moraes, onde foi servido um café da manhã.

A artesã Lilian Medeiros tem um fusca há dois anos e disse que a paixão por esse tipo de carro é desde criança. “Não troco meu fusca por nada. Vou levar e buscar meus filhos na escola e o fusca faz parte do meu dia a dia”, afirma. Ela ama tanto o fusca que fez até uma tatuagem no braço esquerdo.

Para Antonio Magalhães, há dificuldades em realizar um evento como esse. Mas este ano, ele ressalta que com o apoio da empresa fabricante do veículo ficou muito melhor. ” Eu espero que nas datas oficiais (20 de janeiro Dia Nacional e 22 de Junho Dia Internacional), nós possamos ter esse apoio”, afirmou.

Magalhães informou ainda que a primeira remessa do fusca chegou da Alemanha para o Brasil no início da década de 50, na era de Hitler. Mas foi em 1957 que o então presidente da República Juscelino Kubitschek autorizou que a Volkswagen fabricasse os primeiros veículos no Brasil.

“Foi na data de hoje que o engenheiro Ferdinando Bosch assinou esse contrato para fabricação dos primeiros protótipos do fusca na Alemanha”, lembra Magalhães. Ele destacou que antes de ser fabricado no Brasil, os fuscas chegavam já prontos ou suas peças vinham para os carros fossem montados em nosso país.

Histórias

O fotógrafo Magalhães disse ainda que todo dono de fusca tem uma história para contar sobre o veículo. “Alguem se casou e foi em um fusca, namorou, viajou para uma praia deserta, socorreu uma gestante e a mulher pariu dentro do carro, sem falar nos filmes e nas músicas que citam o fusca”, destaca.

Nem do Fusca também estava feliz com a realização do passeio. Ele tem dez fuscas e se considera um amante desse tipo de carro.”Já estamos comemorando 8 anos desse passeio e além disso são 80 anos que o veículo começou a ser fabricado”. ressalta. Ele disse ainda que o fusca é uma relíquia e, como é chapista, tem todo cuidado com os veículos dele e com os dos clientes que o procuram para fazer algum tipo de serviço.

O gerente da Concessionária de veículos Bremen, Divanilson Sousa, ressaltou a importância do fusca. “É um carro que marcou a história do nosso país”.

O passeio percorreu as avenidas Getúlio Vargas, João Durval, presidente Dutra, Eduardo Fróes da Mota, Noide Cerqueira e retornou ao Espaço Marcus Moraes. (Acorda Cidade)