Feira de Santana: Mulher acusada de mandar matar o próprio filho é presa

55031-3Foi presa na manhã desta sexta-feira (14), Nadja Carneiro Silva Almeida, acusada de ter mandado matar o próprio filho, Rafael Silva dos Santos, 21 anos, no último domingo (9), em Feira de Santana.

Ela prestou depoimento na Delegacia de Homicídios, onde chegou por volta das 9h30 de hoje, e logo em seguida a delegada Herundina Nunes, deu a voz de prisão.

Ela deveria ter se apresentado na última terça-feira (11), mas não compareceu e por não ter comunicado a polícia onde estava ela foi considerada como foragida. A prisão preventiva da acusada foi decretada pelo juiz Gustavo Hungria.

De acordo com a delegada, Nadja é considerada coautora do crime, já que segundo relatos de familiares, ela mandou o outro filho, Anúbio Silva Almeida, matar Rafael. A prisão preventiva dele já foi decretada e ele é considerado foragido da Justiça. A polícia já iniciou as diligências com a finalidade de localizá-lo.

Nadja chorou praticamente durante todo o momento do depoimento e não confessou o crime. Ela disse que não estava na hora do assassinato  e  que a vítima a agrediu, mas a versão dela é contestada pelos familiares ouvidos pela delegada.  “A vítima apenas empurrou a mãe e todos os depoimentos constam nos autos”, disse a delegada informando que segundo os depoimentos ela deu a ordem para matar o irmão.

Nadja disse que as acusações contra ela são calunias e que não estava fugindo da polícia, mas sim dos amigos do filho. Ela também disse que ficou arrasada com as declarações da filha, Rose Carneiro, que pediu a prisão da mãe e disse que ela é uma monstra.

“Eu amava meu filho. Eu não estava fugindo da polícia eu fugi foi dos amigos dele. Estou arrasada. Ela (a filha) é a culpada dele ser assim. Apesar de tudo eu a amo. Não me crucifique eu não iria fazer isso com meu filho. Quem fez a cabeça da minha filha para ela ter feito isso comigo?” questionou Nadja.  Ela ficará presa no Conjunto Penal de Feira de Santana  e poderá cumprir até 20 anos de prisão. (Acorda Cidade)