Forró invade às ruas e avenidas de Euclides da Cunha

Nem mesmo a chuva meio garoada que caiu na cidade na manhã desta sexta-feira (15), quando faltam apenas, sete dias para os festejos no Arraiá do Cumbe, escolas públicas e colégios saem às ruas e avenidas da cidade para uma mostra do que serão os festejos juninos 2018, em Euclides da Cunha.

Colégio José Aras, mesmo debaixo de chuva, levou para o público, que das calçadas e casas comerciais vibrava e até filmavam o belíssimo desfile com temas alusivos aos personagens do nosso folclore regional, tipicamente nordestino, além de lembrar que a sanfona não pode ficar de fora, pois é ela a principal ferramenta de animação nos festejos sertanejos nordestinos, sem, contudo, deixar de fora pessoas portadoras de necessidades especiais, num bonito e legítimo gesto de inclusão social que também foi mostrado.

Foto reprodução/Euclidesdacunha.com

Mas, a manhã euclidense, cuja cidade se transformou num imenso arraial, com a sua principal praça, ruas e avenidas enfeitadas com balões, bandeirolas, adereços e tudo que precisa para colorir e alegrar uma festa junina autenticamente nordestina, além de uma bela sanfona, zabumba e triângulo tocados por sanfoneiros e percussionistas que sabem extrair o máximo de seus instrumentos, além de um vocalista de repertório bem elaborado com xote, baião, xaxado e as tradicionais marchinhas juninas que não deixam ninguém parado e, logo, homem e mulher, estas principalmente, muito mais fogosas, assanhadas e animadas por natureza, para dançar, nem que seja só.

Foto reprodução/Euclidesdacunha.com

Que o sertanejo nordestino adora chuva, isso ninguém de bom senso pode contestar. Parece que o “sangue da terra”, é assim que a nossa gente se refere aos deliciosos pingos d’água que caem continuadamente do céu, também parece que o efeito que causa sobre quem está dançando um forrozinho, esteja ele ou ela dissipando o calor que o suco da cana destilado provoca, a chuva tem o poder de multiplicar a animação e, aí, a turma não se incomoda de ter a roupa, os sapados e as sandálias novas ou não, encharcados, e haja alegria ao som do forró, este gênero musical originalmente nordestino por natureza.

O Educandário Oliveira Brito, que pela primeira vez botou o bloco na rua, o fez com muita alegria e animação musical do grupo Forró do Cumbe, formado pelo excelente Paulo do Acordeom, um dos mais respeitados sanfoneiros de toda a região, Marcos Brito (vocal e zabumba), Toínho de Bina (triângulo), nomes respeitados no meio musical euclidense, pela qualidade do legítimo forró que apresenta. Foi um sucesso e está de parabéns, todo o corpo docente que participou ativamente deste momento de efervescência musical e cultural desta cidade festeira, terra de Pedro Sertanejo.

Foto reprodução/Euclidesdacunha.com

Euclides da Cunha viveu uma manhã diferente, com muita alegria, forró, sobretudo, de preservação de uma cultura que nunca vai ser superada, pois quando chega o mês de junho, abençoado pelos santos forrozeiros, Antônio, João e Pedro, maior trio de forró de todos que existem, cuja espiritualidade se reencarna nesta turma boa que toca, dança e faz a festa mais bonita do mundo, no sexto mês do ano. O Arraiá do Cumbe, indubitavelmente será a maior festa junina de toda a região.

Fonte: José Dilson/Euclidesdacunha.com

....

COMPARTILHAR