Gaban afirma que reajuste para os servidores públicos só depende de boa vontade do governador

    gabanA incoerência entre o incremento na arrecadação do estado e a falta do reajuste dos servidores que deveria ter sido anunciado desde janeiro, data base da categoria, foi o assunto levado à tribuna da Assembleia Legislativa pelo deputado Carlos Gaban (DEM), nesta terça-feira (5). “Infelizmente  esse ‘bom momento econômico’ não tem sensibilizado o governador para que cumpra suas obrigações para com seus servidores”, lamentou o parlamentar.

    O Governo do Estado comemora o aumento do PIB baiano que alcançou 3,1%, muito acima dos 0,9% do PIB Nacional. Com isso, a arrecadação do estado nos dois primeiros meses deste ano já superou em quase R$ 500 milhões a do mesmo período do ano passado. “O reajustamento com base nos índices oficiais, por volta de seis pontos percentuais, impactaria os cofres públicos em pouco mais de R$ 60 milhões por mês, valor facilmente absorvido pelo incremento de arrecadação, que em janeiro superou os R$ 300 milhões, em fevereiro superou R$ 180 milhões e que, em março, espera um crescimento de R$ 250 milhões”, argumentou Gaban.

    O deputado disse ainda que, no ano passado, as despesas do estado com pessoal e encargos sociais não chegou a R$ 15 milhões, revelando uma tendência de achatamento dos salários. Por outro lado, as despesas com o pagamento de terceirizadas aumentaram quase R$ 700 milhões entre 2011 e 2012.

    Gabriela da Fonseca
    Jornalista | DRT 2620