Gabrielli acredita na própria candidatura em 2014

gabrielliO secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, adiantou para o Bocão News que ainda não desistiu de ser o escolhido para representar o Partido dos Trabalhadores (PT) na disputa pelo governo da Bahia em 2014. A declaração foi reforçada durante um coquetel promovido ontem (11) da residência do advogado Maurício Torres, no Horto Florestal, em Salvador.

O encontro teve como mote o tema “Bahia: desafios e perspectivas para o futuro do Estado”, contou com a presença de 100 empresários de diversos setores da economia e serviu para mostrar para a cúpula petista que ele conta com a preferência do empresariado.

A reunião reforçou as informações adiantadas em entrevista concedida para o Bocão News durante o Processo de Eleição Direta (PED) do Partido dos Trabalhadores (PT), no domingo (10). Na oportunidade, Gabrielli confessou que não vai desistir do seu objetivo que é a disputa do ano que vem para o governo da Bahia.

O petista revelou que a sigla trabalha com duas visões distintas e esmiuçou a linha de avaliação do diretório nacional do partido especificamente para a Bahia. De acordo com Gabrielli, a partir dessa análise individual de cada pré-candidato é que o nome deverá ser divulgado.

“Existem duas grandes concepções. Uma de que vamos ter adversários fortes e, tendo adversários fortes, nós precisamos ter não somente um candidato que represente um projeto, mas um candidato que seja capaz de emocionar e mobilizar a base militante do partido e consiga articular os aliados”, avaliou.

“A outra tese é de você tem uma situação muito mais tranquila, que nós teremos adversários muito fracos e que nós chegaremos na eleição com a candidatura da base aliada muito forte”, explicou o secretário que revelou qual o direcionamento que ele acredita de avaliação.

“A minha tese é a primeira. Acho que estamos com dificuldades. Acredito que nós temos a situação de que a eleição será disputada e que nesse processo nós precisamos que haja uma unidade da militância partidária e uma unidade na base com propostas muito claras de continuidade do trabalho do governador. Não basta um candidato de uma parte desse conjunto. Tem que ser um candidato que consiga sensibilizar esse conjunto”.

Levando em consideração a análise, Gabrielli revelou que no dia 30 de novembro – data marcada para a decisão do partido sobre o nome do candidato -, existe a possibilidade latente de não sair a definição, empurrando mais para frente a escolha petita, avaliada por muitos como prematura. “Até o dia 30 com certeza a de se tomar essa decisão: se vai decidir ou se vai fazer uma avaliação de conjuntura. Todos os militantes responsáveis sabem que a muita incerteza nesse momento. A decisão do dia 30 é uma decisão que pode ocorrer ou não”.

Bocão News