Gerson Salvador – “Poemas” Umbuzeiro e eu Cansanção

gersn11111Umbuzeiro

durante uma prolongada jornada
por grandes sertões: veredas
encontraram um umbuzeiro
no meio de uma capoeira
limparam o terreiro e ergueram uma casa
com as areias que havia na terra

plantaram uma roça e uma família
cresceram três gerações
que comeram os frutos da árvore
se amaram e se balançaram nela
descansaram em sua sombra
e mataram a sede com suas raízes
nas piores secas

mas aquele jeito de viver
compartilhando sonhos e decifrando estrelas
não caberia em tardes
de outubros contemporâneos

abandonaram a terra
as gentes se findaram
a casa ruiu
restaram os escombros
a capoeira se restituiu
permaneceu o invulnerável perene e solitário
umbuzeiro.

Eu Cansanção

Flor de Cansanção
Foto de Gerson Salvador, 2013.
sou riobaldo
sou fabiano
no meu lado esquerdo
sou sertão
sendo um graciliano tão joão
compartilho meus medos
e paixão
urtiga que arde
nos couros do gibão
no meu velado sou cavalo-do-cão
um cabra com peixeira amolada
de amolecer e cortar
o coração
em minhas crostas abrem-se
veredas tão estradas
onde travam as rodas na arruinação
de ser cosmopolita e beber águas
doces e barrentas
do mundo de (quem sabe?) Cansanção

Gerson Salvador de Oliveira É médico, Nasceu em Cansanção, Bahia, vive em São Paulo desde os oito anos, cresceu na Vila Carioca, Ipiranga. Vive as artes da medicina como práticas de liberdade. Desde 2007 mantém na internet o blog:cansancao.blogspot.com.br onde publica constantemente seus artigos.