Greve da PM chega ao fim e Capitão Tadeu culpa Wagner pela morte de três policiais

_MG_0108As mortes de três policiais militares, durante o período da greve da categoria, foram colocadas pelo deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) no colo do governador Jaques Wagner. O socialista disse que o gestor estadual foi o único culpado pelas vidas ceifadas nos dias em que os PMs cruzaram os braços para cobrar os seus direitos.

“A culpa é única e exclusivamente do governador Jaques Wagner porque ele quem fez com que a greve acontecesse. Se ele tivesse dialogado antes, se ele tivesse blefado, se ele não tivesse apresentado um documento diferente do que foi discutido, essa greve e essas mortes não teriam acontecido”, declarou Capitão Tadeu .

Sobre o fim do movimento grevista, Capitão Tadeu disse que foram respeitadas a democracia e a vontade da maioria.

“A maior parte dos PMs decidiu pelo fim da greve e tem que se respeitar. Na mesa de negociação, quando nos pedimos para assinar o acordo , eu disse que não. Liderança não pode assinar o acordo sem o aval da maioria. Essa minha exigência fez com que viesse a plenário para que a maioria decidisse e tem que ser acatado”, garantiu Capitão Tadeu.

Mortes

O primeiro caso registrado foi do sargento Beto Medeiros da Polícia Militar que morreu após ser baleado na Rua Artur Gonzales, bairro de Pau da Lima. O policial tentou evitar um arrombamento e foi atingido por disparos de arma de fogo. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Um  outro caso de policial assassinado aconteceu no bairro de Alto do Cabrito, Subúrbio Ferroviário de Salvador. Um soldado morreu e outros dois foram baleados. Segundo informações enviadas ao Bocão News, eles estavam em duas motos chegando em casa quando foram surpreendidos por marginais fortemente armados. O policial Santiago, lotado na 18ª CIPM, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital do Subúrbio. Os outros dois policiais continuam internados no hospital. (Bocão News)