Infectologista deixa hospital na Itália para combater coronavírus na Bahia “Estarei na linha de frente na minha terra”

1331

Após enfrentar o coronavírus na equipe médica do Hospital St Rafaelle, em Milão, a infectologista brasileira Renata Avila de Naves Mendonça, de 34 anos, foi convocada neste sábado (21) para auxiliar nas pesquisas e no estabelecimento de protocolos para o atendimento aos pacientes do Covid-19 no Brasil.

Renata Avila de Naves Mendonça: brasileira embarcou de volta ao Brasil neste domingo (22) Foto: Reprodução
Renata Avila de Naves Mendonça: brasileira embarcou de volta ao Brasil neste domingo (22) Foto: Reprodução

Em um vídeo, ela relatou como foi o embarque neste domingo (22). Renata teve que passar por uma barreira que incluía policiais e homens do Exército.

“Só temos eu e minha mãe no trem. Passei por vários policiais. A todos mostrei minha convocação. Expliquei que tinha que voltar ao meu país para compartilhar as experiências boas e ruins que tive aqui.”

Por telefone, minutos antes de embarcar, Renata contou que recebeu a convocação de um grupo de pesquisadores da rede privada. E que atuará de forma mais ativa em um dos hospitais públicos de maior porte em Salvador: o Couto Maia, que já ampliou o número de leitos de dez para 46. Ela vinha dando auxílio à distância ao hospital.

xWhatsApp Image 2020 03 19 at 09.46.57 2.jpeg.jpg.pagespeed.ic .k9IEUd3f9A 1
Renata Naves Mendonça: brasileira no front do combate ao coronavírus na Itália Foto: Reprodução

Renata e sua mãe pegaram na manhã deste domingo o único voo da Itália rumo a Guarulhos. Depois seguirão para Salvador. Ela ficará home office, assim como a mãe.

“Difícil largar companheiros no meio de uma guerra. Deixei presentes que tinha comprado antes da situação chegar ao ponto que chegou. Deixei no subsolo para meus colegas. Não pude abraçá-los. Chorei muito. Mas estarei na linha de frente na minha terra.”