Ivete Sangalo “faz a festa” em Réveillon de Salvador

650x375_ivete-sangalo-reveillon-salvador_1480272Ao som da canção “Marcas do que se foi”, a cantora Ivete Sangalo, a atração mais esperada da noite desta quarta-feira, 31, fez a contagem regressiva para a virada do ano, no penúltimo dia do Réveillon de Salvador, na praça Cairu, no Comércio. Uma queima de fogos de cerca de 15 minutos iluminou o céu sobre um público de mais de 200 mil pessoas que foram até o local para conferir, além de Ivete,  shows de artistas como Vanessa da Mata, Aviões do Forró, Psirico e Pablo.

ivete_2Irreverente, Ivete subiu ao palco às 23h45 e falou da satisfação de cantar na Bahia. “No Réveillon do ano passado (2013), eu falei ‘papai do céu, joga mainha no Réveillon de Salvador. Hoje (quarta), vocês vão ver o que é virada de ano”, brincou a cantora que entoou músicas que a consagraram como “Sorte grande” e “Arerê”.

A alegria da baiana só foi interrompida quando algumas brigas foram registradas no público que ultrapassou a expectativa de 200 mil pessoas. “As festas populares são muito interrompidas por brigas de quem não sabe beber ou se comportar. Mas um dia a gente ainda vai conseguir fazer festas sem essas brigas”, afirmou.

No público, fãs acompanhavam cada música do repertório da baiana. Espremida entre a grade de proteção e o restante do público, a peruana Brenda Arauco, 20, aguardava, desde às 12h, a cantora que conheceu em uma aula de português no país onde mora.

Fã, Brenda juntou dinheiro e veio pela primeira vez à Bahia para assistir a um show de Ivete. “Minha família acha que eu estou louca. Trabalhei o ano inteiro para comprar a passagem. É muito cara”, disse. E parece que o esforço valeu a pena. Ao ler o cartaz da fã, Ivete brincou: “Olha, eu sou uma cantora que tem uma fã do Peru”.

A auxiliar administrativa Ágata Naiaty, 24, saiu de Jundiaí (SP) e veio conferir o Réveillon soteropolitano. “Estou gostando muito. A população de Salvador é muito receptiva”.

Legado

 O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), comemorou o fato de a estimativa de público ter sido superada. “É impressionante como, em dois anos, nós conseguimos consolidar o Réveillon de Salvador. O público que era esperado foi superado. Foram cerca de 100 mil pessoas por dia, e se espera que possamos ter 200 mil pessoas aqui hoje (quarta). Não tenho dúvidas de que, nesses oito dias, nós vamos fazer o maior Réveillon do Brasil. E Salvador mostra ao país o que tem de melhor, que é a festa e a alegria de seu povo. E não tem preço uma coisa dessas, ver as pessoas com um sorriso no rosto, se divertindo, dançando, cantando”, destacou.

O chefe do Executivo municipal disse, ainda, que o segundo ano da realização do Réveillon na Praça Cairu é um “legado que fica para cidade”, de ter mais uma opção de espaço para eventos na cidade. “Ano passado, a gente trouxe o Réveillon para cá numa aposta, e também porque a Barra estava em obra. Deu tão certo que a gente resolveu manter aqui. Acho que é um legado que a gente deixa para a cidade, independentemente de qualquer governo, ou outra coisa que aconteça. O Réveillon vai acontecer na praça Cairu e a cada ano, se Deus quiser, vai ser um Réveillon ainda maior, atraindo uma quantidade enorme de pessoas com essa alegria dos baianos, que não tem preço”.

Neto frisou também que participa da escolha das atrações e que é fã do cantor de arrocha Pablo. “Pablo, quando veio cantar no ano passado (2013) aqui, ainda não estava estourado nacionalmente, mas já estava na grade porque eu escolhi. Na verdade, eu participo da escolha de toda a grade. Sou um grande fã de Pablo, gosto do arrocha e tenho certeza que começar o ano com o sol raiando, e Pablo levando a sua emoção e a sua cantoria de paixão para o coração das pessoas, quem está solteiro vai, com certeza, se encontrar hoje e vai começar 2015, quem sabe, com um novo amor”, finalizou. (Fonte: A Tarde)