Jovem baiano compra videogame na internet, descobre que era furtado e devolve à dona

Um rapaz de 27 anos que mora em Salvador comprou um aparelho de videogame através de um grupo na internet, mas descobriu que o aparelho havia sido furtado e devolveu à dona, que mora em Campinas (SP).

A vítima do furto é a designer paulista Ana Cabral. Ela conta que o vídeogame estava no carro dela, durante uma temporada que ela passava na capital baiana, e foi levado por um assaltante.

untitled 1
Foto: Reprodução/TV Bahia

Rafael Shibasaki, que é famacêutico, detalhou que só descobriu que o aparelho havia sido furtado após a compra. Conforme relatou, ele estava em busca de um videogame usado por conta do preço.

O famacêutico disse que pagou R$ 1 mil no aparelho, R$ 400 mais barato do que a média de preços que ele vinha pesquisando. Segundo Rafael, a pessoa que fez a venda para ele contou que o aparelho era do irmão, que havia perdido de ano na escola.

rafael
Foto: Reprodução/TV Bahia

“Ele falou que o irmão dele tinha perdido de ano, que o videogame era do irmão e que ele queria se desfazer do videogame”, contou Shibasaki.

Enquanto pesquisava por jogos, entretanto, o rapaz descobriu através da internet que o aparelho que ele comprou havia sido furtado. Rafael Shibasaki disse que quando visitava páginas de venda e troca de jogos, encontrou uma postagem de Ana Cabral relatando que tinha sido vítima de um furto em Salvador.

Foto: Reprodução/TV Bahia

“Tinha lá descrição do video game, número de série, os detalhes e, quando eu fui averiguar, era justamente o videogame que eu tinha acado de comprar. Perguntei se tinha alguém conhecido aqui em Salvador que pudesse entregar [para a dona] e entreguei para essa pessoa”, explicou o rapaz.

Após ser contactada por Rafael, Ana disse que ficou surpresa e decidiu retribuir o gesto de honestidade do farmacêutico.

ana
Foto: Reprodução/TV Bahia

“Eu pensei: ‘Como é que ele vai sair dessa sem prejuízo? Então eu tenho dois jogos parados aqui e vamos fazer uma rifa para ajudar ele a arrecadar o dinheiro que ele gastou no aparelho. A gente está torcendo para conseguir a meta da rifa”, disse Ana.

A mãe de Rafael elogiou o comportamento do filho. “Ter um negócio dentro de casa, mesmo que ele tenha pago, mas sabendo que foi um produto roubado e que alguém saiu lesado com isso, não tinha como ficar. Eu como mãe me sinto muito orgulhosa”, disse Lolanda Shibasaki.

Fonte: G1/BA