Juazeiro – Cultura dos vaqueiros no sertão baiano é retratada em exposição fotográfica

    7006337812_733ecd9d45_oProtagonista da história do povo sertanejo, o vaqueiro, Patrimônio Cultural Imaterial, será figura importante no II Celebração das Culturas dos Sertões, presente através da exposição “Imagens dos Vaqueiros da Bahia”.  A partir de 31 painéis, Josué Ribeiro, Bauer Sá e Elias Mascarenhas, sob curadoria do antropólogo Washington Queiroz, levam ao público o resultado do projeto “Histórias de Vaqueiros: Vivências e Mitologias”, realizado entre 1985 e 1991. Além de fotografias, a exposição traz reproduções de falas de vaqueiros, retratando seu dia a dia, sua relação com o trabalho, com os animais, meio ambiente e reflexões sobre a vida.

    Entre os dias 07 e 11, os painéis irão compor o cenário do Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro, onde será dada continuidade à programação do II Celebração das Culturas dos Sertões, após espetáculo de abertura no Teatro Castro Alves (TCA), no dia 03 de maio. O  evento é promovido pela pela Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBa) e valoriza as culturas das regiões sertanejas do estado.

    As expressões do vaqueiro vão muito além do seu trabalho com o gado, com destaque para o acervo de materiais desenvolvidos por eles para atender as suas necessidades de vida e trabalho. “Os vaqueiros são os responsáveis pela conquista dos territórios do estado da Bahia e do Nordeste, é um verdadeiro autor da unidade nacional, através da criação extensiva de gado”, explica Washington. Para retratar os vaqueiros, suas culturas e contextos, os fotógrafos percorreram aproximadamente 40 municípios baianos. “As fotografias visam transmitir um pouco do que representa o universo cultural do sertão a partir da figura do vaqueiro”, completa.

    II Celebração das Culturas dos Sertões

    A Celebração das Culturas dos Sertões, promovida pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), tem como objetivo valorizar as culturas dos sertões e discutir sua importância para a formação da identidade cultural dos baianos. Nesta segunda edição, que acontece de 03 a 11 de maio, em Salvador e Juazeiro, o evento manteve o formato de programação intensa e variada, com encontro de estudos, oficinas e mini-cursos, exposições, cortejo, exibição de filmes e apresentações musicais. Entre os destaques, temos a participação do escritor Antonio Torres para uma edição do projeto “Conversas Plugadas Especial Sertão” na Sala do Coro do TCA, no dia 07.05, às 20h, e na Conferência de abertura do II Encontro de Estudos no dia 09.05, às 10h, no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro. Também é bastante aguardada a a participação do artista pernambucano Antônio Nóbrega, que apresenta a aula-espetáculo “Matria: uma outra linha de tempo cultural”, no dia 10.05, às 18h, no Centro de Cultura. O acesso a toda a programação em Juazeiro também é gratuito, mediante troca de 2kg de alimentos não perecíveis por um ingresso na bilheteria do local, a partir das 14h do dia 06 de maio.

    Ascom Secult BA